Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Área de Reserva Extrativista do Médio Juruá é ampliada no AM

Após decreto do Governo Federal, área de Reserva Extrativista no Município de Carauari aumentou em 33 mil hectares e deve expandir programas de manejo

O Governo Federal decretou, no dia 13 deste mês, a ampliação da Reserva Extrativista do Médio Juruá, localizada no Município de Carauari (distante 542 quilômetros de Manaus). A partir de agora, a reserva, criada em 1997, que tinha 253 mil hectares, passa a ter 33 mil hectares a mais.

Conforme publicado no decreto, a ampliação da reserva garante melhores condições para proteger os meios de vida, a cultura e garantir a utilização e a conservação dos recursos naturais renováveis utilizados pela população tradicional que desenvolve atividades de manejo do açaí, da semente da andiroba, pirarucu e quelônios.

De acordo com gestora da unidade de conservação, Rosi Batista, atualmente, 180 famílias são beneficiadas com as atividades desenvolvidas na reserva e a ampliação representa a oficialização do trabalho que vem sendo feito pelas comunidades para preservar a área. Ainda de acordo com ela, o decreto veio atender uma demanda das associações comunitárias que reconhecem a necessidade de ampliação para que a área continue sendo preservada.

A gestora lembra que, por se tratar de uma região distante da capital, a reserva é bastante preservada e a extração de madeira e as queimadas ocorrem apenas para atender a necessidade da agricultura familiar. “As famílias têm orgulho de manter a reserva preservada porque sabem que a sua vida depende do lugar”, disse Rosi.

Rosi diz ainda que a ampliação beneficia também todo o Estado, pois todas as ações de manejo que não promovem a degradação, independente de onde aconteçam, melhoram a vida de todos. “Não é porque essas famílias moram perto que só elas são beneficiadas. O açaí é usado na merenda escolar, a andiroba é vendida para indústrias e tudo isso gera renda para milhares de pessoas”, explicou a gestora.

A área possui um plano de manejo, então os comunitários sabem das regras a serem seguidas como não invadir lagos, fazer queimada, desmatar área de seringal.

Novos parques

Além da ampliação da Unidade de Conservação do Médio Juruá, o decreto do Governo Federal ainda criou três unidades no Estado do Paraná e Minas Gerais. Foram criados os Parques Nacionais de Guaricana e Gandarela e a Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Nascentes Geraizeiros.

País tem 151 mil hectares protegidos

Com as novas Unidades de Conservação (UCs), o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) passa a administrar mais 151,5 mil hectares de área protegida em todo o território nacional. Após audiências públicas, o processo foi finalizado pelo ICMBio, encaminhado para o Ministério do Meio Ambiente (MMA) e depois para a Presidência da República, que decidiu criar as UCs.

Os novos Parques Nacionais terão o objetivo de garantir a preservação do patrimônio natural – fauna, flora, cavernas e nascentes.

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade é uma autarquia em regime especial. Criado dia 28 de agosto de 2007, pela Lei 11.516, o ICMBio é vinculado ao Ministério do Meio Ambiente. Cabe ao Instituto executar as ações do Sistema Nacional de Unidades de Conservação, podendo propor, implantar, gerir, proteger, fiscalizar e monitorar as UCs.

* Matéria assinada por Jéssica Vasconcelos e publicada no portal A Crítica em 21/10/2014