Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Outras Notícias

Avanços e desafios: 1ª reunião do Comitê Executivo revela panorama do Projeto Terra do Meio

A primeira reunião do comitê executivo do Projeto Terra do Meio aconteceu na última quinta-feira (29) e teve o objetivo de avaliar o progresso da iniciativa. O grupo também definiu a estratégia de continuidade do projeto, que inclui ações prioritárias voltadas à consolidação das Unidades de Conservação (UCs) da região e a execução de um plano de comunicação. O encontro aconteceu em Brasília (DF) e foi mediado pelo coordenador do Projeto, Sergio Carvalho.

Para Roberto Cavalcanti, Secretário de Biodiversidade e Florestas do Ministério do Meio Ambiente, é  fundamental fortalecer os Arranjos Produtivos Locais (APLs) que já existem nas UCs da Terra do Meio. “Os problemas e as oportunidades mudam. Os conceitos de gestão adaptativa e manejo adaptativo precisam estar no centro desse Projeto”, defendeu o secretário, depois de ressaltar os dois maiores objetivos do Projeto: “devemos ter como foco a consolidação das UCs  e o fortalecimento dos APLs”.

Comitê Executivo do Projeto reunido em Brasília (DF) para discutir os avanços e desafios do Projeto. Foto: Fábia Galvão

Danielle Calandino, gerente do projeto no Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), apresentou a execução financeira das UCs da Terra do Meio, entre janeiro de 2012 a julho de 2013. Nesse período, foram gastos 508 mil euros da primeira parcela liberada pela União Europeia que, até outubro de 2014, vai disponibilizar um total de 6.985.000 euros.

A interlocutora do Funbio também apresentou o plano de comunicação do Terra do Meio, que tem como objetivos difundir o Projeto nacional e internacionalmente, comunicar o apoio da União Europeia à iniciativa e apoiar atividades das UCs que precisam de comunicação e engajamento. “Fazem parte do plano ações que dêem visibilidade à Terra do Meio, estabeleçam canais de comunicação, apoiem o calendário de eventos do projeto, promovam a comunicação interna e forneçam orientação para a produção de materiais institucionais e a aplicação das logomarcas de patrocinadores e apoiadores”, explicou Danielle Calandino.

Avanços em campo


Caio Pamplona, coordenador geral de criação e manejo do ICMBio, relatou os resultados da revisão do planejamento das Unidades, que otimizou a contratação de consultorias e estabeleceu níveis de execução para ações como: demarcação, sinalização e obras. Caio também apresentou um cronograma com propostas de execução, que prevê a aquisição de equipamentos e a contratação de consultorias para o trimestre que começa em setembro de 2013 a vai até o fim do projeto, outubro de 2014.

Joyce Lameira, representante da Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Estado do Pará (SEMA/PA) apresentou dados sobre a consolidação das UCs da região. A técnica falou sobre os avanços destacando a formação de conselhos, questões de infraestrutura e planos de manejo das UCs: Flota do Iriri e APA Triunfo do Xingu. “O projeto Terra do Meio alavancou essas áreas”, afirmou Joyce.

Diante dos resultados apresentados, a representante da Delegação da União Europeia (UE), Cristina Carvalho, constatou o avanço do projeto e declarou a satisfação dessa representação. “Queremos deixar um legado que faça a diferença na região da Terra do Meio”, declarou Cristina. A gestora de projetos explicou que vão haver mudanças na cooperação bilateral entre a UE e o Brasil em 2014, mas a previsão de recursos para iniciativas na área ambiental no país continua. “O Ministério do Meio Ambiente é o que mais apresenta propostas e recebe recursos dentro da iniciativa dos Diálogos Setoriais, e isso vai continuar”, concluiu.

Durante o encontro, o comitê executivo do Terra do Meio também definiu as próximas reuniões do grupo. Acompanhe as novidades do Projeto no site do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

Saiba mais


Projeto Terra do Meio


Desenvolvido entre janeiro de 2012 e outubro de 2014, o Projeto Terra do Meio tem a missão de contribuir com a redução do desmatamento e com a conservação da biodiversidade da região Amazônica a partir do apoio à consolidação de 11 (onze) Unidades de Conservação na região denominada Terra do Meio. Localizada na porção central do sul do estado do Pará, a região sofre com três grandes frentes de pressão antrópica: a rodovia Altamira-Itaituba ao norte; a rodovia Cuiabá-Santarém a oeste; e a mais exposta fronteira agrícola do bioma Amazônico ao sudeste. O mosaico é parte de um vasto território de áreas protegidas contíguas, que abrange 28 milhões de hectares, e que faz da região o 2º maior corredor de biodiversidade do Brasil.