Categoria Home, Uncategorized

UCs apoiadas pelo Arpa

Atualmente o Arpa apoia a consolidação de 117 Unidades de Conservação (UC) na região Amazônica.

Para acessar informações sobre as UCs do ARPA, basta clicar no link da informação desejada:

1) Planilha com os principais dados das UCs apoiadas pelo Programa ARPA (Fonte: UCP).

2) Planilha com o histórico FAUC das UCs apoiadas desde sua adesão ao Programa até 2017 (Fonte: UCP)

3) Plano de Consolidação das UCs Apoiadas (Fonte: UCP)

4) Observatório de UCs (Fonte: WWF)

5) Mapa atualizado das 117 UCs apoiadas pelo Programa ARPA (Fonte: UCP).

 

Abaixo listagem das 117 UCs apoiadas pelo Arpa com links das páginas oficiais dos órgãos gestores das UCs:

  1. ESEC Alto Maués
  2. ESEC da Terra do Meio
  3. ESEC de Maracá
  4. ESEC de Maracá-Jipioca
  5. ESEC de Niquiá
  6. ESEC do Jari
  7. ESEC do Rio Roosevelt
  8. ESEC Grão Pará
  9. ESEC Juami-Japurá
  10. ESEC Jutaí Solimões
  11. ESEC Rio Acre
  12. ESEC Rio Ronuro
  13. ESEC Samuel
  14. ESEC Serra dos Três Irmãos
  15. PARNA Campos Amazônicos
  16. PARNA da Amazônia
  17. PARNA da Serra do Divisor
  18. PARNA da Serra do Pardo
  19. PARNA de Anavilhanas
  20. PARNA de Pacaás Novos
  21. PARNA do Cabo Orange
  22. PARNA do Jamanxim
  23. PARNA do Jaú
  24. PARNA do Juruena
  25. PARNA do Monte Roraima
  26. PARNA do Rio Novo
  27. PARNA do Viruá
  28. PARNA Mapinguari
  29. PARNA Montanhas do Tumucumaque
  30. PARNA Nascentes do Lago Jari
  31. PARNA Serra da Cutia
  32. PARNA Serra da Mocidade
  33. PE Cantão
  34. PE Chandless
  35. PE Corumbiara
  36. PE Cristalino
  37. PE do Matupiri
  38. PE do Sucunduri
  39. PE Guajará-Mirim
  1. PE Guariba
  2. PE Igarapés do Juruena
  3. PE Rio Negro Setor Norte
  4. PE Rio Negro Setor Sul
  5. PE Serra dos Martírios/Andorinhas
  6. PE Serra dos Reis
  7. PE Serra Ricardo Franco
  8. PE Xingu
  9. RDS Amanã
  10. RDS Bararati
  11. RDS Cujubim
  12. RDS do Aripuanã
  13. RDS do Iratapuru
  14. RDS do Juma
  15. RDS do Matupiri
  16. RDS do Rio Madeira
  17. RDS Igapó-Açu
  18. RDS Itatupã-Baquiá
  19. RDS Mamirauá
  20. RDS Piagaçú-Purus
  21. RDS Puranga Conquista
  22. RDS Rio Amapá
  23. RDS Rio Negro
  24. RDS Uacari
  25. RDS Uatumã
  26. REBIO de Uatumã
  27. REBIO do Abufari
  28. REBIO do Guaporé
  29. REBIO do Gurupi
  30. REBIO do Jaru
  31. REBIO do Rio Trombetas
  32. REBIO do Tapirapé
  33. REBIO Lago Piratuba
  34. REBIO Maicuru
  35. REBIO Nascentes da Serra do Cachimbo
  36. RESEX Alto Tarauacá
  37. RESEX Arapixi
  38. RESEX Arióca Pruanã
  39. RESEX Auati-Paraná
  1. RESEX Baixo Juruá
  2. RESEX Barreiro das Antas
  3. RESEX Canutama
  4. RESEX Catuá-Ipixuna
  5. RESEX Chico Mendes
  6. RESEX de Cururupu
  7. RESEX de São João da Ponta
  8. RESEX do Cazumbá-Iracema
  9. RESEX do Guariba
  10. RESEX do Lago do Capanã Grande
  11. RESEX do Médio Purus
  12. RESEX do Rio Pacaás Novos
  13. RESEX Estadual Rio Cautário
  14. RESEX Guariba-Roosevelt
  15. RESEX Ipaú-Anilzinho
  16. RESEX Ituxi
  17. RESEX Mãe Grande de Curuçá
  18. RESEX Mapuá
  19. RESEX Maracanã
  20. RESEX Marinha Chocoaré-Mato Grosso
  21. RESEX Marinha Cuinarana
  22. RESEX Marinha Mestre Lucindo
  23. RESEX Marinha Mocapajuba
  24. RESEX Médio Juruá
  25. RESEX Renascer
  26. RESEX Rio Cajari
  27. RESEX Rio Cautário
  28. RESEX Rio Gregório
  29. RESEX Rio Iriri
  30. RESEX Rio Jutaí
  31. RESEX Rio Ouro Preto
  32. RESEX Rio Preto Jacundá
  33. RESEX Rio Unini
  34. RESEX Rio Xingu
  35. RESEX Riozinho da Liberdade
  36. RESEX Riozinho do Anfrísio
  37. RESEX Tapajós-Arapiuns
  38. RESEX Terra Grande Pracuúba
  39. RESEX Verde para Sempre

 

 

Categoria Home

Instalação e utilização do SisARPA

PARA BAIXAR E INSTALAR O SISARPA  CLIQUE AQUI

Tutorial de Instalação do SisARPA
Tutorial de Operação Módulo FAUC – SisARPA
– Tutorial de Operação Módulo PEP – SISARPA 

ATENÇÃO: Após instalar o SisARPA, é importante substituir o banco de dados do programa pelo arquivo neste link. Após este arquivo e descompactá-lo, copiá-lo e substitui-lo na pasta de instalação do SisARPA, que normalmente está no seguinte endereço do computador:

C:\Arquivos de Programas\SisARPA

 

É também necessária a instalação do MIDAS: CLIQUE AQUI

Para todos que estão tendo problema com a instalação do SISARPA, uma etapa que é crucial para que o programa funcione corretamente é a pré-instalação do programa chamado FIREBIRD.  Caso o Firebird não seja instalado, irá aparecer o problema de acesso ao banco de dados. Abaixo os manuais de instalação:

Manual de instalação do FIREBIRD

Para instalar corretamente o Firebird, é preciso saber qual a sua versão do Windows, se é 32 bits ou 64 bits. Isso irá fazer toda a diferença se o SISARPA irá rodar corretamente ou não.

Para saber qual é a sua versão do WINDOWS, é importante que assistam o video abaixo que explica passo a passo como se descobre qual é a sua versão. O video tem 2 minutos de duração e é muito claro.

https://www.youtube.com/watch?v=tOezGmc_PWo

Depois que se descobrir qual a sua versão do Windows, ai é necessário fazer a instalação do FIREBIRD correspondente.

Quem trabalha com Linux ou MACOSX também precisa descobrir qual a versão. Se encontrar problemas na instalação favor comunicar-se com a UCP e informar se utiliza algum dos dois sistemas operacionais.

Categoria Home

Ferramentas de Gestão

 

Categoria Home, Categoria Institucional

Componente 4: Monitoramento, Coordenação e Gerenciamento do Programa

Objetivo: Apoiar o gerenciamento do Programa Arpa, por meio do fortalecimento, integração e alinhamento das instâncias executivas, deliberativas e consultivas do Programa.

Subcomponente 4.1 – Coordenação do Programa

Objetivo: Coordenar ou supervisionar a implementação dos componentes, e apoiar a gestão do Programa, fortalecendo e integrando suas instancias executivas, deliberativas, consultivas e outras instancias de apoio.

Metas:

  • Manter atualizada a Estratégia de Conservação e Investimento (ECI)
  • Manter o Sistema de Gerenciamento do Arpa (SisArpa) atualizado, estável e com bom desempenho.
  • Manter as instâncias do Arpa fortalecidas e atuantes, realizando anualmente 2 reuniões do CP e do FT.

Mais informações:

Subcomponente 4.2 – Gerenciamento financeiro e logístico do Arpa

Objetivo: Garantir a gestão financeira eficiente dos recursos colocados à disposição do Programa Arpa.

Este subcomponente, de responsabilidade do Funbio, apoiará as demais atividades do Projeto, assegurando a execução e administração dos recursos financeiros de forma eficiente.

Mais informações:

Subcomponente 4.3 – Divulgação e Comunicação do Programa

Objetivo: Promover a comunicação interna e externa do Arpa de forma a fortalecer a sua gestão, a coesão entre parceiros e agentes envolvidos e a disseminação das lições aprendidas.

Metas: Implementar o Plano Estratégico de Comunicação.

Ações previstas:

Elaboração e implementação da Estratégia de Comunicação do Arpa

Estabelecer um mecanismo de comunicação para definir a abordagem que o Arpa terá frente ao público-alvo (gestores, doadores, comunidade acadêmica, etc).

Manutenção do website do Arpa

Estabelecer um mecanismo de comunicação para definir a abordagem que o Arpa terá frente ao público-alvo (gestores, doadores, comunidade acadêmica, etc).

Elaboração e produção de material informativo e promocional

Compreende a criação e elaboração de material para divulgação institucional do Arpa, tais como folder institucional , material de escritório, pendrive e material para reuniões e encontros em geral que sejam organizados e apoiados pelo Programa.

Publicação dos Cadernos Arpa e Revista Arpa

A meta é a elaboração de um Caderno Arpa por ano, e uma Revista Arpa a cada dois anos. Estas publicações serão produzidas com a contribuição de gestores das UCs e demais atores interessados em divulgar seus trabalhos.

Saiba aqui sobre o andamento dos trabalhos do GT de Comunicação

 

Subcomponente 4.4 – Monitoramento do Programa

O monitoramento do programa será realizado em dois eixos: (i) efetividade da gestão das unidades de conservação; e (ii) monitoramento ambiental (biodiversidade, socioambiental, paisagem e clima).

Monitoramento da efetividade da gestão

Objetivo: Avaliar a efetividade da gestão das unidades de conservação e o avanço das metas de consolidação decorrente dos recursos aportados pelo Programa.

O monitoramento dos avanços proporcionados pelo Arpa na efetividade da gestão das UCs é realizado por meio de dois instrumentos: a FAUC, que é uma ferramenta rápida e de fácil preenchimento, que permite acompanhar o avanço dos processos de consolidação da gestão das UCs em relação às metas do programa; e a Tracking Tool, que é uma metodologia de avaliação mais abrangente, proposta pela Aliança Pró-Florestal Banco Mundial / WWF, e aplicada em todos os projetos de áreas protegidas financiados com recursos do Fundo para o Meio Ambiente Global (GEF).

A FAUC avalia trinta e três requisitos da gestão de UCs. Dezesseis indicadores, considerados como Marco Referenciais, servem para o planejamento das metas de consolidação da gestão de cada UC e para monitorar os avanços obtidos com os recursos alocados. Anualmente, uma amostra aleatória dos subprojetos financiados no âmbito do subcomponente 2.1 é selecionada para avaliação in loco, de forma a validar os avanços relatados através da FAUC.

A ferramenta Tracking Tool foi desenvolvida com base em um modelo de referência da Comissão Mundial Áreas Protegidas (CMAP) da União Mundial pela Natureza (IUCN) e possibilita uma avaliação compatível e comparável de UCs de todo o mundo. Já foi aplicada para avaliar a efetividade da gestão de UCs em cerca de 200 áreas protegidas em 37 países da Europa, Ásia, África e América Latina e foi introduzida no Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) em 2004.

A Tracking Tool é aplicada no início, no meio e no final de cada fase do Programa Arpa, em parceria com o Banco Mundial e a cooperação técnica. A aplicação desta ferramenta faz parte das obrigações contratuais do Arpa com o Banco Mundial e tem o objetivo de avaliar a progressão dos projetos internacionais apoiados com recursos do GEF.

Monitoramento ambiental

Objetivo: Avaliar a efetividade dos esforços empreendidos pelo programa em relação aos objetivos propostos de assegurar a conservação de uma amostra representativa da biodiversidade da região e contribuir para o seu desenvolvimento sustentável.

Critério: A unidade deverá ter consolidado no Grau I e sido selecionada para o Grau II.

Mais informações:

Categoria Home

Componente 3: Sustentabilidade Financeira

Objetivo: Desenvolver e implementar mecanismos financeiros capazes de prover recursos para a manutenção das unidades de conservação apoiadas pelo Programa a longo prazo.

Subcomponente 3.1 – Gestão do Fundo de Áreas Protegidas (FAP)

Objetivo: Estabelecer um mecanismo financeiro para prover a sustentabilidade financeira de longo prazo para as UCs consolidadas no âmbito do Programa.

Metas: Operacionalizar o FAP, iniciando o apoio à manutenção das UCs consolidadas em grau II. Atingir um total de US$ 70 milhões em doações durante a segunda fase do Arpa, montante que inclui as doações feitas durante a primeira fase (US$ 24,28 milhões).

Mais informações:

Subcomponente 3.2 – Geração de Receita para as Unidades de Conservação

Objetivo: Aprofundar o conhecimento sobre os aspectos econômicos das UCs na Amazônia, seus custos, suas necessidades de financiamento e seu impacto econômico, e realizar estudos e apoiar a implementação de alternativas adicionais e inovadoras de geração de receita para as UCs.

Metas: Apoiar 6 estudos estratégicos, 6 planos de sustentabilidade financeira para as UCs e 3 subprojetos piloto de geração de receita.

Mais informações:

Categoria Home

Como apoiar

Você pode doar recursos para implementar o programa, financiando a infra-estrutura das Unidades de Conservação (UC), ou contribuir com o Fundo de Áreas Protegidas, que busca garantir a sobrevivência das UCs do Programa no longo prazo.

 

 

Categoria Home

Sistema de Gestão Financeira – Cérebro 2.0

O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), gestor financeiro do Arpa, é responsável pelo controle contábil de todas as movimentações financeiras e o registro das transações, por meio de um sistema informatizado, o sistema Cérebro 2.0.

Utilizando a experiência adquirida nos seis anos de utilização do sistema Cérebro Arpa e em outros sistemas semelhantes do Funbio, o desenvolvimento do sistema Cérebro 2.0 pôde ser mais assertivo com a criação de uma base de dados mais robusta,que suporte as informações do Programa ARPA.
Com essa nova base de dados foi possível construir funcionalidades que favoreçam a extração de informações pelos diferentes usuários, doadores, gestores de UCs, órgãos gestores e UCP, por exemplo. O Funbio é o responsável pela criação de perfil de cada usuário.
Essa flexibilidade na extração de informações (consultas e gestão) é implementada através de filtros, que poderão utilizar diversas informações e também através da seleção das informações que serão exibidas no resultado. Por exemplo: poderá ser criado um filtro em que a categoria de gasto seja ‘ Bens’ e o tipo de unidade de conservação seja ‘Proteção Integral’. Já nos resultados foram escolhidas as informações: Doador, Nome da Unidade de Conservação, POA, Subprojeto e Valor Total Planejado.

Para acessar o Cérebro 2.0, clique aqui.

Categoria Home, Categoria Institucional

O que é uma Unidade de Conservação

Uma Unidade de Conservação (UC) é um território cuja proteção é garantida por lei, conta com regime especial de administração e visa conservar os recursos naturais e a biodiversidade existentes em seu interior.

O Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) foi instituído no Brasil em 2000 pela Lei nº. 9.985, que estabelece critérios e normas para a criação, implantação e gestão das Unidades de Conservação no País.

De acordo com a IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza), as áreas protegidas são “uma contribuição vital para a conservação dos recursos naturais e culturais mundiais.

São valiosas pela proteção de habitats naturais e da flora e fauna associadas a elas, mas também pela manutenção da estabilidade ambiental das regiões ao seu redor.

Áreas protegidas podem oferecer oportunidades para o desenvolvimento rural e uso racional em seu entorno, gerando renda e criando empregos, para pesquisa e monitoramento, para edução em conservação, e lazer e turismo.”

Fonte: Instituto Socioambiental (ISA) e IUCN

Biblioteca, Categoria Home, Documentos

Lista de unidades de conservação

UNIDADE TAMANHO CATEGORIA UF ESFERA Entrada no Arpa
ESEC Juami Japurá 572,650 Estação Ecológica Amazonas Federal Fase I
ESEC Maracá 101,312 Estação Ecológica Roraima Federal Fase I
ESEC Terra do Meio 3,373,111 Estação Ecológica Pará Federal Fase I
PARNA Juruena 1,957,000 Parque Mato Grosso e Amazonas Federal Fase I
PARNA Montanhas do Tumucumaque 3,867,000 Parque Amapá Federal Fase I
PARNA Rio Novo 537,757 Parque Pará Federal Fase I
PARNA Jaú 2,272,000 Parque Amazonas Federal Fase I
PARNA Cabo Orange 619,000 Parque Amapá Federal Fase I
PARNA Campos Amazônicos 873,570 Parque Amazonas, Rondônia e Mato Grosso Federal Fase I
PARNA Serra do Pardo 445,392 Parque Pará Federal Fase I
PARNA Viruá 227,011 Parque Roraima Federal Fase I
PARNA Anavilhanas 350,018 Parque Amazonas Federal Fase I
PARNA Serra da Cutia 283,612 Parque Rondônia Federal Fase I
PARNA Serra do Divisor 842,736 Parque Acre Federal Fase I
RESEX Alto Tarauacá 151,200 Reserva Extrativista Acre Federal Fase I
RESEX Arapixi 133,637 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Arioca-Pruanã 83,445 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Auati-Paraná 146,951 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Baixo Juruá 187,982 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Ipaú-Anilzinho 55,816 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Ituxi 766,940 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Mapuá 94,464 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Médio Purus 604,209 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Renascer 211,741 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Barreiro das Antas 107,234 Reserva Extrativista Rondônia Federal Fase I
RESEX Lago do Capanã Grande 304,146 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Maracanã 30,019 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Rio Cautário 73,817 Reserva Extrativista Rondônia Federal Fase I
RESEX Rio Iriri 398,938 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Rio Unini 833,352 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Verde para Sempre 1,288,717 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Cazumbá-Iracema 750,795 Reserva Extrativista Acre Federal Fase I
RESEX Riozinho do Anfrísio 736,341 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Rio Jutaí 275,533 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase I
RESEX Rio Xingu 303,841 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
RESEX Riozinho da Liberdade 325,603 Reserva Extrativista Acre Federal Fase I
RESEX Terra Grande-Pracuúba 194,695 Reserva Extrativista Pará Federal Fase I
REBIO Jarú 328,150 Reserva Biológica Rondônia Federal Fase I
REBIO Rio Trombetas 385,000 Reserva Biológica Pará Federal Fase I
REBIO Tapirapé 103,000 Reserva Biológica Pará Federal Fase I
REBIO Uatumã 940,358 Reserva Biológica Amazonas Federal Fase I
REBIO Lago Piratuba 357,000 Reserva Biológica Amapá Federal Fase I
RDS Itatupã-Baquiá 64,735 Reserva Desenvolvimento Sustentável Pará Federal Fase I
Resex do Guariba/Mosaico Apuí 150,465 Reserva Extrativista Amazonas Estadual Fase I
PE Guariba/Mosaico Apuí 72,296 Parque Amazonas Estadual Fase I
RDS do Aripuanã/Mosaico Apuí 224,291 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase I
PE do Sucunduri/Mosaico Apuí 808,312 Parque Amazonas Estadual Fase I
RDS Bararati/ Mosaico Apuí 113606 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase I
RDS Piagaçú-Purus 1,005,280 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase I
RDS Rio Amapá 214,133 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase I
RESEX Rio Gregório 477,042 Reserva Extrativista Amazonas Estadual Fase I
RDS Uacari 623,934 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase I
PE Rio Negro Setor Norte 148,634 Parque Amazonas Estadual Fase I
RESEX Catuá-Ipixuna 215,416 Reserva Extrativista Amazonas Estadual Fase I
PE Xingu 95,024 Parque Mato Grosso Estadual Fase I
PE Igarapés do Juruena 223,888 Parque Mato Grosso Estadual Fase I
ESEC Rio Ronuro 102,671 Estação Ecológica Mato Grosso Estadual Fase I
PE Cristalino I e II 184,900 Parque Mato Grosso Estadual Fase I
PE Corumbiara 430,082 Parque Rondônia Estadual Fase I
ESEC Antônio Mujica Nava / Serra dos Três Irmãos 117,928 Estação Ecológica Rondônia Estadual Fase I
PE Guajará-Mirim 203,178 Parque Rondônia Estadual Fase I
PE Cantão 100,413 Parque Tocantins Estadual Fase I
PE Chandless 693,975 Parque Acre Estadual Fase I
RESEX Rio Cajari 481,650 Reserva Extrativista Amapá Federal Fase II
PN Serra da Mocidade 350,960 Parque Amazonas, Roraima Federal Fase II
RESEX Médio Juruá 253,227 Reserva Extrativista Amazonas Federal Fase II
RDS Amanã 2,313,000 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase II
PN Nascentes do Lago Jari 812,141 Parque Amazonas Federal Fase II
RESEX Cururupu 185,047 Reserva Extrativista Maranhão Federal Fase II
PE Rio Negro Setor Sul 157,807 Parque Amazonas Estadual Fase II
RESEX estadual Rio Cautário 146,400 Reserva Extrativista Rondônia Estadual Fase II
REBIO Maicuru 1,151,760 Reserva Biológica Pará Estadual Fase II
ESEC Grão Pará 4,245,819 Estação Ecológica Pará Estadual Fase II
RDS do Iratapuru 860,184 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amapá Estadual Fase II
RDS do Juma 589,611 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase II
PE do Matupiri 513,747 Parque Amazonas Estadual Fase II
RDS do Rio Madeira 283,117 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase II
Esec Niquiá 283,600 Estação Ecológica Roraima Federal Fase II
RDS Rio Negro 102,978 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase II
RDS Uatumã 424,430 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase II
PE Serra Ricardo Franco 158,621 Parque Mato Grosso Estadual Fase II
Esec do Rio Roosevelt 80,915 Estação Ecológica Mato Grosso Estadual Fase II
RDS Igapó-Açu 397,557 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase II
Resex Canutama 197,986 Reserva Extrativista Amazonas Estadual Fase II
PE Serra dos Martírios/Andorinhas 24,897 Parque Pará Estadual Fase II
ESEC Maracá-Jipioca 72,000 Estação Ecológica Amapá Federal Fase II
RESEX Rio Preto Jacundá 95,300 Reserva Extrativista Rondônia Estadual Fase II
ESEC Jari 227,126 Estação Ecológica Pará, Amapá Federal Fase II
Resex Guariba-Roosevelt 57,630 Reserva Extrativista Mato Grosso Estadual Fase II
RDS Cujubim 2,450,381 Reserva Desenvolvimento Sustentável Amazonas Estadual Fase II
ESEC Rio Acre 77,500 Estação Ecológica Acre Federal Fase II
RESEX Chico Mendes 970,570 Reserva Extrativista Acre Federal Fase II
RESEX Rio Ouro Preto 204,583 Reserva Extrativista Rondônia Federal Fase II
Rebio Gurupi 341,650 Reserva Biológica Maranhão Federal Fase II
PN Jamanxim 852,616 Parque Pará Federal Fase II
Categoria Home, Categoria Institucional

Componente 2: Consolidação e Gestão das Unidades de Conservação

Objetivo:
Estruturar as unidades de conservação integrantes do Programa Arpa para cumprir suas finalidades básicas, promovendo a gestão integrada e participativa e desenvolvendo competências gerenciais nas equipes responsáveis por sua gestão.

Subcomponente 2.1: Consolidação de Unidades de Conservação

Objetivos:
Apoiar a consolidação das unidades de conservação integrantes do Programa Arpa mediante a alocação eficiente de recursos que contribuam com o processo de evolução contínua da gestão das unidades de conservação.

METAS:
·    Consolidação de 32 milhões de ha de unidades de conservação no bioma Amazônia, sendo 6,5 milhões de ha em unidades de conservação pré-existentes e ainda não apoiadas pelo programa.

Subcomponente 2.2: Gestão Integrada de Unidades de Conservação

Objetivos:

Fomentar a gestão integrada e participativa de unidades de conservação e outras áreas protegidas com potencial para colaboração com vistas a aumentar a efetividade da proteção da biodiversidade e melhorar a eficiência na utilização de recursos.

METAS:
·    Existência de 5 (cinco) blocos (conjuntos) de unidades de conservação com instrumentos de planejamento elaborados de forma integrada.

Subcomponente 2.3: Integração das Comunidades

Objetivos:

Fortalecer comunidades beneficiárias de unidades de conservação de uso sustentável e residentes nas áreas de entorno de unidades de conservação de proteção integral, orientando-as aos objetivos das unidades, incrementando a participação social na conservação da biodiversidade e induzindo o desenvolvimento sustentável na região.

Subcomponente 2.4: Desenvolvimento de Competências para a Gestão de Unidades de Conservação.

Objetivo:

Promover o desenvolvimento da competência gerencial das equipes das unidades de conservação e de parceiros envolvidos com o planejamento e a gestão das unidades de conservação.

META:

·    Elaborar e implementar o plano de capacitação do programa.



Existência de 5 (cinco) blocos (conjuntos) de unidades de conservação com instrumentos de planejamento elaborados de forma integrada.