Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Escola em área isolada da Resex Chico Mendes (AC) é modelo

A Escola de Ensino Fundamental e Médio Cumarú está localizada na Colocação Cumarú, Seringal São Francisco do  Iracema, na Reserva Extrativista Chico Mendes, município  de Rio Branco (AC). Seu único acesso se dá entre 5 e 8 horas  de viagem, após se percorrer um trajeto de 25 km de estrada  de terra e mais 20 km a pé ou a cavalo.

Os alunos pertencem à comunidade dos seringais São Francisco do Iracema e Macapá, na Reserva Extrativista Chico  Mendes e seu entorno onde foram feitos os estudos para  criação da Reserva Extrativista Riozinho do Rola. Essa comunidade vive basicamente do comércio da castanha, borracha e agricultura familiar, tendo na pesca e na caça fontes  primordiais de proteína animal.

A criação de bovinos também está presente em algumas  áreas, porém apenas como complemento na renda. Trata-se  de uma comunidade extremamente jovem. A região conta  com cinco escolas rurais de ensino fundamental.

Entretanto, a Escola Cumarú se destaca pela dedicação e  trabalho do professor Francisco Barbosa Leite, pedagogo e  teólogo, que transformou o local com projetos e iniciativas de gestão escolar diferenciada para áreas de floresta.

Ele construiu uma horta comunitária com os alunos,  iniciou o plantio de um Sistema Agro-florestal (SAF)  para abastecer a escola com apoio apenas da comunidade. Nesta horta existem espécies como acerola, café,  ingá, araçá-boi, coco, limão, laranja, cupuaçu, graviola, açaí, entre outros.

Foi do professor a ideia da construção de uma biblioteca, tendo criado um material didático próprio para a  comunidade, com materiais que integram a realidade  local. Um alojamento provisório foi estruturado para  os estudantes que moram há mais de três horas de distância e que, por este motivo, permanecem a semana  toda na escola.

Atualmente o maior desafio para gestão da escola é a implementação do telecentro, que já possui os computadores armazenados desde 2012, à espera da instalação. Não  foi por falta de apoio da comunidade que o espaço até  hoje não foi construído, tendo em vista que ainda não  há todos os equipamentos necessários para a instalação e para o fornecimento de energia – cujo fornecimento  precisa ser por placas solares.

Ação gerenciada pela Secretaria de Inclusão Digital, do Ministério das Comunicações (MC), os telecentros são espaços sem fins lucrativos, de acesso público e gratuito, com  computadores conectados à internet, disponíveis para diversos usos. Segundo dados do portal do MC, existem 7.755  telecentros em funcionamento em todo o Brasil, instalados  por meio de uma parceria entre ministérios, prefeituras e  entidades responsáveis pela manutenção desses espaços.

Outros desafios são a falta de valorização da carreira do magistério na área rural e o fornecimento da merenda escolar,  que poderia ser feito por meio da compra de produtos locais  pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA) do Ministério de Desenvolvimento Social (MDS).

A escola conta com o apoio da Secretaria de Educação do  Estado do Acre, entretanto a carência de recursos é grande,  e falta principalmente um projeto político-pedagógico que  dê conta das especificidades do ensino formal em uma Unidade de Conservação de Uso Sustentável.

Os analistas ambientais Melina Andrade e Fernando França Maia realizaram uma visita ao local e fizeram um planejamento para dar início a atividades conjuntas do ICMBio com a gestão da escola, na comunidade e entorno.

A equipe de gestão do ICMBio na Resex Chico Mendes  também irá fornecer materiais específicos sobre a Reserva,  para auxiliar nas atividades escolares.

* Matéria publicada no informativo ICMBio em Foco 354