Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

ESEC de Maracá-Jipioca (AP) realiza 5ª reunião do Conselho Consultivo

A equipe da Estação Ecológica de Maracá-Jipioca, unidade de conservação (UC) federal gerida pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), realiza de 10 a 12 de dezembro, na sede da unidade, a 5º reunião ordinária de seu conselho consultivo. Um dos temas a ser abordado será a atividade de pesca no entorno da UC.

Desde o início de 2013, o ICMBio tem buscado o diálogo com os pescadores do município de Amapá, para que se resolva o conflito histórico existente entre a fiscalização ambiental e a classe pesqueira. O conselho consultivo da UC tem apoiado na resolução do conflito, já que inclui órgãos ligados à pesca e representantes dos pescadores, além de instituições de ensino superior, do poder público municipal, das comunidades próximas e de órgãos de gestão ambiental federais e estaduais.

A estratégia tem sido sensibilizar para o entendimento de que a pesca é uma atividade importante para o estado e para a classe de pescadores, que deve ser valorizada, mas que necessita ser desenvolvida a partir de normas, para que possa gerar renda para o trabalhador que atua na cadeia produtiva do pescado, receitas para o estado e conservação dos recursos pesqueiros e das demais espécies da biodiversidade.

As ilhas de Maracá e Jipioca são importantes áreas de reprodução e abrigo de espécies da biodiversidade costeira amazônica, incluindo de espécies de peixes estuarinos e marinhos que são capturados na costa amapaense. Sua proteção implica diretamente na manutenção dos estoques pesqueiros presentes no litoral do Amapá, que é uma das regiões com maior produção pesqueira do litoral brasileiro, embora não seja adequadamente aproveitada pelos pescadores locais.

Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280

* Matéria publicada pelo ICMBio em 11/12/2013