Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Expedição Terra Incógnita reúne pesquisadores de diversas áreas

Iniciativa realizada em dezembro no Parna Serra da Mocidade e na Esec Niquiá (RR)

Este mês o Parque Nacional (Parna) Serra da Mocidade e a Estação Ecológica (Esec) Niquiá, ambas unidades de conservação federal (UC) localizadas na porção centro-sul do estado de Roraima, na região do baixo rio Branco, realizaram a Expedição de Pesquisa Científica Terra Incógnita, em alusão à Hamilton Rice, explorador americano que assim chamou a região leste do estado em seu livro “Exploração à Guiana Brasileira”. A ação, que ocorreu de 4 a 18 de dezembro, reuniu pesquisadores de diversas áreas do conhecimento para levantar informações sobre uma região até então pouco conhecida pela ciência.

Foram identificadas mais de 300 espécies de plantas, 23 de anfíbios, 14 de lagartos, cinco serpentes, 18 de mamíferos, mais de 100 de aves e 100 de peixes. Um estudo inicial sobre a pedologia do local também foi iniciado e indicou uma alta variedade de solos, mas ainda serão feitas as análises necessárias para caracterizá-los melhor. A equipe também promoveu sobrevoo na região para captação de imagens em alta resolução que irão compor o acervo do Parna Serra da Mocidade e serão utilizadas em um documentário sobre a expedição, em fase de elaboração.

Composta por pesquisadores de várias instituições, entre as quais o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Universidade Federal de Roraima (UFRR), o Instituto de Amparo à CiêPesquisa Científica Terra Incógnita, em alusão à Hamilton Rice, explorador americano que assim chamou a região leste do estado em seu livro “Exploração à Guiana Brasileira”. A ação, que ocorreu de 4 a 18 de dezembro, reuniu pesquisadores de diversas áreas do conhecimento para levantar informações sobre uma região até então pouco conhecida pela ciência.

Foram identificadas mais de 300 espécies de plantas, 23 de anfíbios, 14 de lagartos, cinco serpentes, 18 de mamíferos, mais de 100 de aves e 100 de peixes. Um estudo inicial sobre a pedologia do local também foi iniciado e indicou uma alta variedade de solos, mas ainda serão feitas as análises necessárias para caracterizá-los melhor. A equipe também promoveu sobrevoo na região para captação de imagens em alta resolução que irão compor o acervo do Parna Serra da Mocidade e serão utilizadas em um documentário sobre a expedição, em fase de elaboração.

Composta por pesquisadores de várias instituições, entre as quais o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Universidade Federal de Roraima (UFRR), o Instituto de Amparo à Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Roraima (IACTI), a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), a Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e o Instituto Federal Roraima (IFRR) e financiada com recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), a expedição teve por objetivo subsidiar as equipes gestoras das UCs com informações que contribuam com a elaboração e a implementação de seus Planos de Manejo, documento primordial que define as diretrizes para a gestão de uma área protegida.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (95) 3623-3250 / 3532-1067 odologia do local também foi iniciado e indicou uma alta variedade de solos, mas ainda serão feitas as análises necessárias para caracterizá-los melhor. A equipe também promoveu sobrevoo na região para captação de imagens em alta resolução que irão compor o acervo do Parna Serra da Mocidade e serão utilizadas em um documentário sobre a expedição, em fase de elaboração.

Composta por pesquisadores de várias instituições, entre as quais o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Universidade Federal de Roraima (ncia, Tecnologia e Inovação do Estado de Roraima (IACTI), a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), a Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e o Instituto Federal Roraima (IFRR) e financiada com recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), a expedição teve por objetivo subsidiar as equipes gestoras das UCs com informações que contribuam com a elaboração e a implementação de seus Planos de Manejo, documento primordial que define as diretrizes para a gestão de uma área protegida.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (95) 3623-3250 / 3532-1067 odologia do local também foi iniciado e indicou uma alta variedade de solos, mas ainda serão feitas as análises necessárias para caracterizá-los melhor. A equipe também promoveu sobrevoo na região para captação de imagens em alta resolução que irão compor o acervo do Parna Serra da Mocidade e serão utilizadas em um documentário sobre a expedição, em fase de elaboração.

Composta por pesquisadores de várias instituições, entre as quais o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Universidade Federal de Roraima (UFRR), o Instituto de Amparo à Ciência, Tecnologia e Inovação do Estado de Roraima (IACTI), a Universidade Federal do Amazonas (UFAM), a Secretaria do Patrimônio da União (SPU) e o Instituto Federal Roraima (IFRR) e financiada com recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa), a expedição teve por objetivo subsidiar as equipes gestoras das UCs com informações que contribuam com a elaboração e a implementação de seus Planos de Manejo, documento primordial que define as diretrizes para a gestão de uma área protegida.

Mais informações podem ser obtidas pelos telefones (95) 3623-3250 / 3532-1067 ou e-mail parna.mocidade@icmbio.gov.br.

Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280

* Matéria publicada no site do ICMBio em 31/12/2013