Notícias, Notícias sobre o Arpa

GT de Capacitação do Arpa define cursos para 2014

Na última terça-feira, (21), representantes do Grupo de Trabalho de Capacitação do Arpa estiveram reunidos em Brasília (DF) para finalizar o Plano Estratégico do Arpa para 2014 e 2015, elaborado a partir das diretrizes esboçadas no Plano construído em grupo em 2013. Durante o encontro, foram selecionados os cursos presenciais que serão ministrados aos gestores do Programa em 2014, definidos os critérios de participação em Congressos nacionais além de investimentos para apoiar a disponibilização de cursos em formato à distância, dentre outros.

Na abertura da reunião, o coordenador da Unidade de Coordenação do Programa (UCP), Sérgio Carvalho, ressaltou que todas as ações de capacitação devem colaborar para que as Unidades de Conservação (UCs) do Arpa alcancem os marcos referenciais do Programa. Nesse sentido, o gestor defendeu que haja uma transição dos cursos presenciais para os baseados na Educação a Distância (EAD): “É uma modalidade de aprendizagem que facilita o treinamento dos gestores, ninguém vai precisar esperar pela capacitação por três ou seis meses na UC. O Arpa exige que haja treinamentos o tempo todo”.

Para as capacitações presenciais, o GT selecionou 14 cursos: gestão administrativa, gestão de UCs e consolidação territorial, conservação e manejo da biodiversidade, gestão participativa, geoprocessamento e informação gerencial foram as áreas dos temas definidos para esses aperfeiçoamentos, que terão início após a apreciação da proposta e não objeção por parte dos doadores, o que deve acontecer até o final de janeiro de 2014.

Já para a modalidade de EAD, a proposta é de apoiar iniciativas já existentes no ICMBio e criar outros nas áreas de proteção e gestão fundiária, além dos cursos operacionais e de planejamento do Programa. Até 30 de março, o GT vai elaborar um Termo de Referência para contratar uma empresa especializada na formatação dos cursos e, segundo a representante do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), a contratação pode ser efetivada até 30 de junho. presenciais para os baseados na Educação a Distância (EAD): “É uma modalidade de aprendizagem que facilita o treinamento dos gestores, ninguém vai precisar esperar pela capacitação por três ou seis meses na UC. O Arpa exige que haja treinamentos o tempo todo”.

Para a participação em Congressos nacionais, a proposta do GT de capacitação é de que os interessados se candidatem com antecedência, demonstrando o grau de pertinência entre o seu trabalho e o Programa. É imprescindível que o candidato seja o primeiro autor da pesquisa que deseja apresentar.

O GT também mapeou cursos já disponíveis gratuitamente na modalidade EAD. Confira a lista completa aqui.

Sobre o GT de Capacitação do Arpa

Formado por representantes da UCP, Funbio, WWF, ICMBio, Secretaria de Estado de Meio Ambiente do Pará (SEMA-PA) e do Centro Estadual de Unidades de Conservação do Amazonas (CEUC-AM), o grupo tem o objetivo de apoiar o desenvolvestão fundiária, além dos cursos operacionais e de planejamento do Programa. Implementar no Arpa um plano estratégico de capacitação é a meta do grupo, apoiado pela consultora Cleani Marques. Acompanhe o trabalho do GT no site do Arpa: www.programaarpa.gov.br.