Notícias, Outras Notícias

Ibama e INPE firmam pacto para manter a floresta em pé

Novo sistema identificará com mais precisão possíveis focos de corte ilegal de vegetação

O governo federal engrossou as medidas de controle do desmatamento na Amazônia Legal. O Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) e o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) firmaram, nesta sexta-feira (07/11), acordo de cooperação que promoverá o aperfeiçoamento das ações de detecção de degradação da vegetação na Amazônia e aumentará a efetividade das ações de combate ao desmatamento na Amazônia facilitando a  integração entre os órgãos.

O objetivo é fortalecer o combate ao crime organizado que atua na extração de madeira e outras atividades ilegais na região.

Além disso, entrou em fase de testes o novo Sistema de Detecção do Desmatamento em Tempo Real, o Deter B, que irá produzir imagens de maior resolução para suporte das operações de fiscalização em terra.

Por meio de imagens de satélite, o sistema indica pontos onde houve alteração de paisagem decorrente de motivos diversos, que vão desde queimadas, corte seletivo até o desmatamento com corte raso da floresta.

Para impedir a utilização das informações georreferenciadas pelos desmatadores um protocolo específico de divulgação das informações foi estabelecido entre Ibama e INPE. Assim, os criminosos não conseguirão saber onde estão situados os possíveis focos de desmatamento identificados pelo sistema. “E os fiscais que atuam na ponta também estarão mais protegidos”, explicou o presidente do Ibama, Volney Zanardi.

SEGURANÇA E TECNOLOGIA

Os dados estatísticos do Deter serão disponibilizados trimestralmente, em fevereiro, maio, agosto e novembro de 2015.

O novo sistemaobservará a Amazônia com mais precisão. Com ele, será possível enxergar áreas de até 6,25 hectares onde houve mudança de paisagem. Antes, o sistema identificava áreas de, no mínimo, 25 hectares.

“Os desmatadores estão usando técnicas para enganar o sensor de menor resolução utilizado correntemente e o DETER B será fundamental para identificarmos essas situações com maior antecipação,afirmou  Zanardi. “A medida vai resguardar os fiscais que atuam em campo.”

Também, os dados oficiais referentes à supressão ilegal de vegetação na Amazônia devem ser divulgados até o fim do mês. Único mecanismo capaz de medir o desmatamento, o Projeto de Monitoramento da Floresta Amazônica por Satélites (Prodes) é feito anualmente pelo INPE. “Os números do Deter são alertas e não se relacionam com a taxa anual de desmatamento do Prodes”, enfatizou o diretor do INPE, Leonel Fernando Perondi.

A cooperação entre o Ibama e o INPE permitirá maior efetividade no planejamento e execução das ações de combate ao desmatamento. “Esse protocolo tem como foco a organização e a forma de comunicação das informações”, resumiu o presidente do Ibama.

SAIBA MAIS

Leia as notícias dos dados dos anúncios dos dados do Deter nos dois últimos anos:

2014

 

2013

 

2012

 

Assessoria de Comunicação Social (Ascom/MMA) – Telefone: 61.2028 1227

* Texto Publicado em 07/11/2014 e assinado por Lucas Tolentino, com edição de Vicente Tardin

Documentos:

 Aperfeiçoamento das ações de combate ao desmatamento na Amazônia
 Aprimoramento dos sistemas de detecção nas alterações da cobertura vegetal na Amazônia Legal