Notícias, Outras Notícias

Na sexta edição, Instituto Mamirauá abre inscrições para curso de gestão compartilhada de recursos pesqueiros

O Instituto Mamirauá está com inscrições abertas para o “Curso de “Gestão Compartilhada dos Recursos Pesqueiros com foco no Manejo Participativo de Pirarucu (Arapaima gigas)”. O objetivo desta sexta edição é incentivar a multiplicação das ações do manejo participativo de pesca em outras regiões. As inscrições vão até o dia 1º de março de 2015 e interessados poderão efetivar seu interesse, enviando um e-mail para pesca@mamiraua.org.br, atendendo aos requisitos do edital (disponível aqui).
O curso acontecerá no período de 15 a 24 de abril de 2015, em Tefé, no estado do Amazonas. A iniciativa é voltada para profissionais que atuem direta ou indiretamente na implementação de sistemas de manejo de pesca, em áreas protegidas da Amazônia. A prioridade será dada aos candidatos de organizações governamentais e não governamentais da Amazônia, que pretendem implementar ou já estejam assessorando sistemas de manejo participativo de pirarucu. “Nossa proposta parte da experiência acumulada ao longo de dezesseis anos na aplicação de sistemas de manejo dos recursos naturais, junto às populações ribeirinhas da Amazônia”, afirmou Ana Cláudia Torres, coordenadora do Programa de Manejo de Pesca.
Durante o curso, o Instituto Mamirauá irá retratar sua experiência no manejo participativo de pirarucu, por meio de: intercâmbio das experiências de manejo vivenciadas pelos participantes, bases antropológicas e sociológicas sobre o modo de vida das populações, descrição do processo de implementação do Manejo Participativo de Pirarucu nas Reservas Mamirauá e Amanã, fundamentos da biologia e ecologia do pirarucu e a importância da várzea para a produtividade pesqueira e princípios, diretrizes e metodologias de zoneamento e a importância de sua correta definição na reprodução, uso de habitat, alimentação, crescimento e movimentação do pirarucu.
Além desses temas, o curso também abordará o método de contagem de pirarucu, abordagem e o detalhamento das atividades correlacionadas com as ações prioritárias para o manejo de pirarucu em ambientes de várzea (organizar, zonear, proteger, contar, pescar, vender e avaliar) e suas diretrizes metodológicas, e as etapas do processo de manejo e os critérios de avaliação, com enfoque para as lições aprendidas.
* Matéria publicada no site do Instituto Mamirauá em 12/01/2015