Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Naturatins avalia parceria com instituições envolvidas no Projeto para Desenvolvimento do Ecoturismo no Parque Cantão (TO)

O Instituto Natureza do Tocantins (Naturatins), órgão responsável pela gestão das Unidades de Conservação Estaduais, vem implementando ações para fomentar o ecoturismo no Parque Estadual do Cantão. Para isso, o órgão firmou um termo de cooperação técnica entre Instituto Araguaia e Associação Onça d´Água para juntos realizarem o Projeto de Desenvolvimento do Ecoturismo no Parque Estadual do Cantão –Pró-Cantão, que vem estimulando a visitação ordenada na unidade, com cerca de 3 mil visitantes desde a sua abertura ao público, em junho do ano passado.

Considerada fundamental na conservação da biodiversidade por meio das ações de proteção, monitoramento e uso público do Parque, essa parceria propiciou a aprovação do Projeto Pró Cantão, por meio da Chamada de Projetos 01/2011. Os investimentos para a execução do mesmo são de R$ 611.578, sendo R$ 327.880 provenientes do Fundo Brasileiro para Biodiversidade – FUNBIO, e os restantes R$ 3.698 de contrapartida das ONGs executoras – a Associação Onça D’água, responsável pelo recebimento dos recursos do FUNBIO e administração do projeto; e Instituto Araguaia, responsável pela execução em campo e pela contrapartida financeira, e o Naturatins responsável pelo acompanhamento, apoio técnico, e monitoramento do projeto.

Esse projeto teve início em 2012 com uma série de oficinas de planejamento, realizadas em campo e com a participação de técnicos das instituições parceiras e consultores nacionais e internacionais.  Nessas oficinas foram definidos impactos aceitáveis, normas de uso e procedimentos de monitoramento específicos para os atrativos do PEC, assim como um roteiro interpretativo para visitação. Na ocasião também foram complementadas com mais infraestrutura as duas trilhas existentes e ainda a construção de duas pontes e seis bancos com encosto para os trabalhos de visitação.

Ainda no Projeto, foi produzido e instalado material explicativo e interpretativo (vídeos e painéis) para o Centro de Visitantes do PEC; adquiridos mobiliários e decorações adicionais foram obtidos por cessão do Naturatins, e também o incentivo aos moradores locais para confeccionarem artesanato com temas relacionados ao Cantão, como miniaturas de canoas e ariranhas talhadas em madeiras nativas e doces feitos de frutas nativas, e assim foi montada uma loja de artesanato dentro do Centro de Visitantes.

Também foram realizadas oficinas de treinamento para preparar membros da comunidade local para trabalhar com visitantes ao PEC, sendo que os guias e barqueiros locais receberam orientações adicionais da equipe do Projeto em suas primeiras atuações, para garantir sua adaptação bem-sucedida ao trabalho com visitantes em unidade de conservação.

Para dar continuidade às ações, um técnico do Instituto Araguaia permanece em campo pela duração do projeto, onde percorre duas vezes por semana o roteiro turístico, compilando dados geo-referenciados sobre ameaças e infrações, visando orientar o planejamento das atividades de proteção. A partir de 2015 um técnico atuará também no monitoramento do comportamento e grau de satisfação dos visitantes e do impacto da visitação sobre o ecossistema.

Também estão previstos para 2015 a implementação de um circuito de trilhas interpretativas no ambiente de Cerrado do PEC, com estabelecimento de infraestrutura para visitação e pernoite em área designada para camping, e finalização do projeto do centro de visitantes.

Para os parceiros, e principalmente para o Naturatins, a expectativa com o projeto foi atingida. “O monitoramento permanente e gestão adaptativa do uso público garante qualidade e o mínimo impacto possível, criando uma alternativa econômica para a região. Quando completamente implementado, o Pro-Cantão contribuirá para a proteção efetiva do ecossistema do Parque Estadual do Cantão e para o estabelecimento de uma economia sustentável em seu entorno”, avaliou o gestor do órgão, Stalin Júnior.

Segundo levantamento da unidade, as principais ameaças ao Parque Estadual do Cantão (PEC) são a pesca predatória, a caça ilegal, o turismo desordenado, e os incêndios que frequentemente resultam dessas atividades. Para enfrentar essas ameaças, o Plano de Manejo do PEC prevê a fiscalização de pontos críticos que controlam o acesso ao interior da unidade, e a implantação de atividades de visitação e ecoturismo para substituir o turismo desordenado e contribuir para a economia local.

* Matéria assinada por Edvânia Peregrini e publicada no site Naturantins em 05/12/2014