Notícias, Outras Notícias

Oficina discute educação e comunicação em Unidades de Conservação

Gestores de várias unidades participam do evento em Brasília

Oficina discute educação e comunicação em Unidades de Conservação

Nana Brasil
nana.nascimento@icmbio.gov.br

Começou nesta segunda-feira (17), no Hotel Brasília Imperial, a Oficina Encea, evento que tem o objetivo de promover debate sobre os fundamentos conceituais e metodológicos que norteiam a elaboração de materiais educativos relacionados à Estratégia Nacional de Comunicação e Educação Ambiental em Unidades de Conservação (Encea).

Organizado pelo Departamento de Educação Ambiental do Ministério do Meio Ambiente (MMA) em parceria com a Coordenação de Educação Ambiental da Diretoria de Ações Socioambientais e Consolidação Territorial do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Disat/ICMBio), o encontro reúne na capital federal cerca de 30 participantes – entre gestores de Unidades de Conservação (UCs) de diversas partes do país e servidores do MMA e da sede administrativa do ICMBio, em Brasília.

Durante a abertura do evento, o diretor de Ações Socioambientais e Consolidação Territorial do ICMBio, João Arnaldo Novaes, destacou a importância de se encarar a Encea como um processo contínuo e participativo. “Não podemos pensar nas UCs como se fossem ilhas. A educação ambiental é uma ferramenta para transformar realidades e sua construção deve ser viva e coletiva”, argumentou o diretor.

Já a coordenadora de Educação Ambiental da Disat/ICMBio, Karina Dino, falou sobre os materiais educativos que deverão advir desta oficina. “A ideia é desenvolver coletivamente instrumentos didáticos que sirvam para todas as UCs, subsidiando a reflexão em cada uma delas a respeito das suas ações e de como pode ser feito o acompanhamento dos resultados”, explicou Karina.

Para Ronaldo Oliveira, chefe da Reserva Extrativista Corumbau (BA), a expectativa é de que a educação ambiental se torne de fato prioritária. “Hoje, os processos educativos ainda são vistos com um olhar de curto prazo, voltado para atividades pontuais. Precisamos pensar a educação como ação contínua, a partir de um planejamento bem elaborado e de longo prazo”, ressaltou Oliveira.

A oficina, que consiste em palestras, exposições e grupos de trabalho, se estende até esta terça-feira (18), quando serão apresentadas as propostas e os encaminhamentos para a construção dos materiais didáticos no âmbito da Encea.

Sobre a Encea

De acordo com Renata Maranhão, gerente de projetos do Departamento de Educação Ambiental do MMA, a Encea estabelece princípios, orientações e propostas necessárias ao desenvolvimento de políticas públicas e programas de educação ambiental e comunicação. Instituída através da Portaria nº 289, de 2006, a Estratégia vem sendo aprimorada desde então. “Em 2010, sistematizamos uma primeira versão com as principais diretrizes da Encea. Agora é o momento de buscarmos sua implementação efetiva”, ressaltou a gerente.

Ainda segundo Renata, o documento faz parte dos processos inclusivos de participação social na gestão ambiental e no fortalecimento da cidadania. “Nosso grande desafio é desenvolver materiais que dialoguem com as realidades locais e potencializem as ações de educação ambiental nas UCs”, finalizou Renata.

* Publicado no site do ICMBio em 18/11/2014