Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Operação combate ilícitos ambientais no Amazonas

Ação reuniu agentes de três unidades de conservação, Ibama e PM

 © Todos os direitos reservados. Foto: Acervo ICMBio

Oito autos de infração, totalizando R$ 190 mil em multas, e a apreensão de um barco, um motor, carne de caça, 361 quelônios (animais com casco), sendo 360 tracajás (Podocnemis unifilis) e um irapuca (Podocnemis erythrocephala).

Selo-Arpa1Esse foi o saldo da operação de fiscalização, concluída na semana passada, pelas unidades de conservação (UCs) pertencentes ao Núcleo de Gestão Integrada de Novo Airão (Parque Nacional de Anavilhanas, Parque Nacional do Jaú e Reserva Extrativista do Rio Unini), no Amazonas.

A operação, que ocorreu entre os dias 11 e 22 de agosto, foi realizada em conjunto com o Ibama e o Batalhão de Policiamento Ambiental (BPAmb) da Polícia Militar do Amazonas.

Os quelônios apreendidos foram capturados no rio Jaú, no interior do parque e seriam vendidos a receptadores em Novo Airão. Os animais foram soltos no rio.

Três “tartarugueiros”, como são conhecidos os traficantes de quelônios, foram detidos e conduzidos à Polícia Federal, em Manaus (AM).

Segundo Henrique Salazar, do Parque Nacional de Anavilhanas, a operação conseguiu inibir, ainda que temporariamente, ilícitos ambientais comuns na região do baixo Rio Negro, tendo sido considerada exitosa pela equipe.

* Matéria publicada em 31/08/2015 pelo ICMBio