Notícias, Notícias sobre o Arpa

Programa Arpa é tema de palestra no Congresso Mundial de Parques

Como parte da programação do Congresso Mundial de Parques, em Sidney (Austrália), o Governo Brasileiro, em parceria com o WWF e o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), realizou hoje (18) a palestra “A Iniciativa Arpa para a Vida – Compromisso com a Amazônia”, no CFA Pavillion. A proposta foi apresentar a Iniciativa, lançada em 2012 pelo Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) do Governo Federal, que assegurou a alocação de recursos financeiros da ordem de 215 milhões de dólares para garantir, pelos próximos 25 anos, a manutenção permanente de 60 milhões de hectares de UCs apoiadas pelo Arpa.

Doze anos após sua criação, o Arpa, coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), é considerado o mais bem-sucedido exemplo de gestão de áreas protegidas do planeta. “A Iniciativa Arpa para a Vida permitiu várias inovações no programa, como a constituição de um fundo de transição e os mecanismos de governança, além de marcar o início da terceira fase do Arpa, lançada no Brasil em maio deste ano. O Congresso de Parques vai lançar a estratégia internacionalmente e apresentar o Programa para os maiores especialistas de áreas protegidas do mundo”, explica Mauro Armelin, superintendente de conservação do WWF-Brasil, um dos parceiros da estratégia.

O Congresso de Parques, organizado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN), acontece até amanhã (19) sob o tema “Parques, pessoas e planeta: inspirando soluções”. O evento ocorre a cada dez anos e reúne especialistas de todo o mundo para discutir a situação das áreas protegidas existentes ao redor do planeta, além de definir uma agenda voltada à conservação de áreas protegidas para a próxima década.

Sobre o Arpa

Atualmente, o Arpa protege 95 unidades de conservação (UCs) na Amazônia brasileira, que representam mais de 52 milhões de hectares. Foi criado com o objetivo de expandir e fortalecer o Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, além de assegurar recursos financeiros para a gestão destas áreas, a curto e longo prazos, e promover o desenvolvimento sustentável da região.

Reconhecido internacionalmente, o Arpa combina biologia da conservação com as melhores práticas de planejamento e gestão. As unidades de conservação apoiadas pelo programa são beneficiadas com bens, obras e contratação de serviços necessários para a realização de atividades de integração com as comunidades de entorno, formação de conselhos, planos de manejo, levantamentos fundiários, fiscalização e outras ações necessárias ao seu bom funcionamento.

São parceiros do Programa o Ministério para a Cooperação e Desenvolvimento Alemão (BMZ), o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), o Funbio, a Fundação Gordon e Betty Moore, o WWF-Brasil, o WWF Estados Unidos, o Fundo Amazônia, a fundação Margaret A. Cargill e o Global Environment Facility (GEF), os governos estaduais do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Rondônia, Pará, Tocantins, e o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

* Publicado no site da WWF em 18/11/2014