Notícias, Notícias sobre o Arpa

Rio + 20 firma Compromisso com a Amazônia

MMA apresenta à comunidade internacional resultados e perspectivas do maior programa de conservação de florestas tropicais do mundo

Cristina Ávila

Nesta segunda-feira (18?06), serão apresentados, na Conferência das Nações Unidas para o Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), os resultados de dez anos do Programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) e suas perspectivas. O principal foco dos debates será a iniciativa “Compromisso com a Amazônia – Arpa para a Vida”, do Ministério do Meio Ambiente (MMA), que tratará de novas estratégias para a preservação do bioma.

O encontro será promovido pela Secretaria de Biodiversidade e Florestas, por meio do Departamento de Áreas Protegidas, do MMA, pelo Fundo Mundial da Natureza (WWF-Brasil) e pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio).

GESTÃO INOVADORA

O Arpa é a maior iniciativa de preservação de florestas tropicais do mundo, responsável por 95 unidades de conservação (UCs), que protegem 52 milhões de hectares do bioma. O seu diferencial é a inovação na gestão das UCs, em que todas as atividades são avaliadas com metodologias que visam a eficiência.

“Uma das principais virtudes do Arpa é a participação em sua administração”, enfatiza o coordenador do Programa Amazônia no WWF-Brasil, Mauro Armelin. As instituições parceiras contribuem com o desenvolvimento da governança do programa, com aporte de recursos, experiências e troca de ideias. “Não apenas vemos os resultados, mas todos participamos dos resultados”, acrescentou.

O Arpa é uma parceria entre o governo federal, MMA, Instituto Chico Mendes para Conservação da Biodiversidade (ICMBio), além dos governos estaduais da Amazônia brasileira – Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Rondônia, Pará e Tocantins –, WWF-Brasil, Cooperação Brasil – Alemanha, GTZ, KfW, Banco Mundial, GEF, Funbio, Fundo Amazônia e BNDES.

PROGRAMAÇÃO

O evento na Rio+20 será aberto pelo secretário de Biodiversidade e Florestas, Roberto Cavalcanti, que apresentará balanço das metas do Arpa, às 17h, na Arena da Barra (auditório ARN-2), na Barra da Tijuca, na avenida Embaixador Abelardo Bueno, 3401.

Em seguida, às 17h10, a secretária geral do Funbio, Rosa Lemos, falará sobre “Arranjo de gestão e suas inovações”. Os “Resultados de conservação: representatividade, mudanças climáticas e efetividade de gestão” será tema da secretária geral do WWF-Brasil, Maria Cecília Wey de Brito.

Instituições parceiras vão explicar como o Arpa se insere em cada uma delas. As apresentações começam às 17h30, com o diretor de Recursos Naturais do Fundo Global para o Meio Ambiente (GEF), Gustavo Fonseca. Ele é o chefe da delegação da instituição para a Rio+20.

O diretor de Desenvolvimento Sustentável do Banco Mundial para a América Latina, Ede Jorge Ijjasz apresentará as contribuições da instituição para a criação e manutenção das áreas protegidas da Amazônia. Em seguida, também fazem exposições um representante do banco alemão para o desenvolvimento, e Guilherme Accyoli, que vai expor a inserção do Arpa no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Falam ainda Avecita Chicchón, da Fundação Gordon and Betty Moore, e Roger Ullman, da Linden Trust for Conservation.

Ás 18h, será apresentada a iniciativa “Compromisso com a Amazônia – Arpa para a Vida”, com exposições de Maria Cecília Wey de Brito, Roberto Cavalcanti e Rosa Lemos.

O encontro na Arena da Barra encerra com a comemoração do prêmio “Development Impact Honors”, concedido pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos ao Banco Mundial e GEF pelo reconhecimento às conquistas do Arpa. Haverá um coquetel com entrega do livro “Arpa – Um novo caminho para a conservação da Amazônia”, lançado em segunda edição.