Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Alto do Tarauacá (AC) define Perfil da Família Beneficiária

O objetivo é identificar famílias que terão acesso a políticas públicas

© Todos os direitos reservados. Foto: Acervo ICMBio

A equipe da Reserva Extrativista (Resex) do Alto Tarauacá – Unidade de Conservação administrada pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) localizada no Acre – e da base do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT) no Acre participaram de uma expedição na Unidade de Conservação (UC). Entre os dias 1º e 14 de maio foram realizadas sete reuniões comunitárias com os moradores da Resex.

O objetivo principal foi discutir com as comunidades aspectos que auxiliarão na definição do Perfil da Família Beneficiária da Resex. Com isso, será possível identificar quais famílias terão acesso às políticas públicas voltadas a esse público, garantindo-lhes legalmente também o direito de uso do território.

“Este é mais um importante instrumento de gestão em processo de construção. As reuniões foram muito proveitosas e com grande participação dos moradores”, afirmou Camilla Helena da Silva, analista ambiental da Resex.

Segundo Rosenil de Oliveira, analista ambiental do CNPT/AC, os moradores entenderam a importância de se construir este instrumento de gestão ouvindo indistintamente todos os comunitários que usam e acessam os recursos naturais da Resex.

Durante as oficinas foi possível também a aplicação de uma metodologia que discute e relembra com os comunitários o papel e funcionamento do Conselho Deliberativo da Reserva, ativo desde junho de 2011.

© Todos os direitos reservados. Foto: Acervo ICMBioO método utiliza ilustrações e foi desenvolvido pelas consultoras Érica Bettiol e Marina Minari e pelas analistas ambientais Camilla Helena, Ana Luiza Figueiredo e Mariana Leitão, em oficinas na Reserva Extrativista (Resex) do Rio Unini e no Parque Nacional do Jaú (AM).

“A metodologia é muito esclarecedora, pois demonstra todo o processo de gestão das Unidades nos conselhos gestores, além de explicitar a importância da participação comunitária. Nesse sentido, é muito gratificante perceber que eles saem mais apropriados sobre o papel do conselheiro e seu próprio papel na gestão da Unidade”, diz Camilla Helena.

Mudanças na equipe

A expedição também foi uma oportunidade para apresentar Mariléia de Araújo da Silva aos comunitários, que desde 30 de abril compõe a equipe de gestão da Resex e assumiu a chefia da UC. “É muito importante iniciar os trabalhos de gestão visitando todas as comunidades e conhecer localmente a região. Além disso, tive o privilégio de contar com a presença dos três ex-chefes da Unidade numa mesma expedição, o que demonstra respeito aos moradores e a certeza de que as ações serão continuadas”, afirmou a atual chefe.

Na mesma expedição, a analista Camilla Helena se despediu dos moradores, com muita gratidão e lágrimas, após um trabalho de cinco anos: “Sempre terei a Resex do Alto Tarauacá no meu coração. Me despedir pessoalmente e apresentar a nova chefia era uma questão fundamental para seguir o meu caminho com muita tranquilidade e sentimento de dever cumprido. Minha gratidão aos colegas de equipe, do escritório de Cruzeiro do Sul e aos moradores por todo o aprendizado será eterna”, finalizou Camilla.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9280
* Matéria publicada no site do ICMBio em 01/06/2015

 

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Resex Riozinho da Liberdade (AC) planeja elaboração do Plano de Manejo

Captura de Tela 2015-04-09 às 16.35.45Os membros do Conselho Deliberativo da Reserva Extrativista (Resex) Riozinho da Liberdade se reuniram em sua primeira reunião ordinária do ano para o planejamento das atividades para 2015. O evento foi realizado entre os dias 17 e 19 de março, no município de Cruzeiro do Sul (AC).

A principal ação para este ano será a elaboração do Plano de Manejo da Unidade de Conservação (UC). O processo de preparação teve início em maio de 2014, quando equipe gestora e lideranças comunitárias reuniram-se para discutir a reorganização comunitária necessária frente aos desafios de gestão e elaboração do Plano. O resultado foi a constituição de 23 Núcleos de Base Comunitária, que foram aprovados como um Plano de Ação Sustentável do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

Captura de Tela 2015-04-09 às 16.33.01A gestão comunitária por núcleos foi definida em uma assembleia geral da Associação Agroextrativista da Reserva Extrativista do Rio Liberdade (ASAREAL), realizada em novembro de 2014. No mês de janeiro, foi realizado o “Primeiro Encontro dos Núcleos de Base da REAL”, quando os representantes foram capacitados em temas como roda de conversa, priorização, tomada de decisão, organização e registro de reuniões, além da capacitação em Teatro do Oprimido, conduzida pelo servidor Olivar Bendelak, da Coordenação Regional do ICMBio no Rio de Janeiro. Na oportunidade também foi elaborado o planejamento estratégico da associação.

Paralelamente ao trabalho de gestão comunitária, um Grupo de Trabalho constituído por representantes comunitários, equipe gestora da Reserva e professores de diversas áreas da Universidade Federal do Acre (Ufac) está trabalhando na elaboração do Plano de Manejo. Como parte de suas atividades, estudantes de diversos cursos realizaram pesquisas participativas nos Núcleos de Base Comunitária, que possibilitaram verificar questões logísticas necessárias para as atividades de campo. “Essas experiências serviram para elaborar a proposta metodológica que será utilizada na elaboração do Plano de Manejo, apresentada ao Conselho Deliberativo nesta primeira reunião ordinária de 2015”, explicou Julia da Silva Vilela, chefe da Resex.

A metodologia prevê a realizarão de levantamentos de campo junto aos comunitários. Equipes multidisciplinares de acadêmicos da Ufac atuarão em parceria com moradores da Resex e com o acompanhamento dos representantes dos Núcleos de Base. A proposta está sistematizada no projeto “Liberdade de Escolha”, desenvolvido por Julia Vilela como projeto do 5º Ciclo de Capacitação em Gestão Participativa.

Na reunião do Conselho Deliberativo, também teve início a construção do planejamento estratégico da Unidade de Conservação (UC), cujo mapa estratégico orientará a elaboração do Plano de Manejo da Resex. Durante a reunião foram produzidas as primeiras versões da missão e visão de futuro da Unidade. A elaboração do mapa estratégico é conduzida por Pablo Saldo, analista ambiental da Resex e participante do 3º Ciclo de Formação em Gestão
para Resultados.

“Juntos, os projetos de planejamento estratégico e de gestão participativa abordam as questões estratégicas e operacionais necessárias para elaboração do Plano de Manejo Participativo da Resex, mobilizando e envolvendo, desde sua concepção, comunidades e outros atores necessários para a futura implementação do plano”, afirmou Pablo.

* Matéria publicada no ICMBio em Foco 335

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata consultoria para Avaliação Ecológica Rápida da Resex Chico Mendes (AC)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional.Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.

O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

As empresas/instituições interessadas deverão manifestar-se até o dia 02 de abril de 2015, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no Termo de Referência (TdR), apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito para a realização da avaliação em questão.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse Consultoria PJ_ RESEX Chico Mendes_ AER_e indicando o NOME da sua Instituição”.

Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio, disponível no site do Funbio. Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

Para ter acesso ao Termo de Referência (TdR), clique aqui.

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

UC RESEX Cazumbá-Iracema (AC) recebe missão de avaliação do Arpa

Por Daline Pereira

Nos dias 28 e 29 de janeiro, aconteceu na Unidade de Conservação (UC) Reserva Extrativista Cazumbá- Iracema (AC) a primeira missão de avaliação do Arpa em campo de 2015. Durante a visita, os participantes conheceram os desafios e as conquistas da atual gestão da UC em relação às metas do Programa.

Representantes do Ministério do Meio Ambiente, do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Banco Mundial, além do presidente do Comitê do Fundo de Transição do Arpa e do consultor de avaliação externa do Arpa, participaram da missão. Em diálogo com o grupo, Tiago Juruá, gestor da Reserva Extrativista, ressaltou que a Unidade é uma das 10 UCs consideradas altamente implementadas em recente relatório do TCU sobre UCs na Amazônia – dessas, cinco são apoiadas pelo Programa.

Participantes da missão de avaliação do Programa Arpa na RESEX Cazumbá-Iracema. Foto: Thiago Barros

Por outro lado, segundo Tiago Juruá o baixo número de gestores da UC dificulta a execução de determinadas ações. O grupo da missão conheceu de perto as dificuldades da comunidade para viver do extrativismo devido ao baixo valor da borracha no mercado. Não obstante, os moradores locais se mostraram altamente receptivos ao aprendizado de novas tecnologias que agreguem valor aos produtos.

Em diálogo com os moradores locais, os participantes da missão de avaliação do Programa Arpa tiveram a oportunidade conhecer seu alto grau de articulação e mobilização. A história de criação da Reserva Extrativista relacionada à luta dos moradores também foi tema do encontro.

Saiba mais
Missões de avaliação do Programa Arpa – Realizadas a partir de uma demanda dos doadores, as missões de avaliação do Arpa acontecem anualmente. Acesse aqui as atas das últimas missões e leia aqui a notícia sobre a missão de campo anterior.

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Resex do Alto Tarauacá (AC) comemora aniversário com conselheiros

A Reserva Extrativista (Resex) do Alto Tarauacá (AC) reuniu seu Conselho Deliberativo nos dias 12 e 13 de novembro para mais uma reunião ordinária. Na ocasião, foi discutido o papel do conselheiro e elaborado o Plano de Trabalho para o próximo ano. “Esta foi uma ocasião muito especial, pois pela primeira vez ocorreu a renovação do mandato dos conselheiros após a criação do Conselho, em dezembro 2010”, afirmou Camilla Helena da Silva, chefe da Resex.
Também houve apresentação da nova diretoria da Associação dos Serigueiros Agricultores Ribeirinhos do Alto Tarauacá (Asareat), discussão do Perfil do Beneficiário da Resex e apresentação dos resultados das pesquisas com quelônios e caça realizadas pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT) na Unidade. Ao final da reunião, foi comemorado com bolo e muita festa o aniversário de 14 anos da Reserva Extrativista, completados em 8 de novembro, e o início do mandato dos novos conselheiros.

Participaram da atividade Francisco José Figueiredo de Souza, da Resex do Alto Juruá; Rosenil Dias de Oliveira, da Base Avançada do CNPT em Rio Branco, além de Raimundo Maciel D ́avila e Camilla Helena da Silva, gestores da Resex do Alto Tarauacá. A atividade contou com o apoio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

 

* Matéria publicada no ICMBio em Foco 322
Notícias, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata consultoria para a elaboração de material de divulgação da RESEX Chico Mendes (AC)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional.Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES e WWF-Brasil, além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.

O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

Visando obter mais interessados para o processo de seleção, as empresas/instituições interessadas deverão manifestar-se até o dia 04 de julho de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no TdR (Termo de Referência), apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil elaboração do material em questão.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse Consultoria PJ_ Vídeo documentário _RESEX Chico Mendes e indicando o NOME da sua Instituição”.

Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio.

Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

Clique aqui para acessar o TdR (Termo de Referência).

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Matéria publicada no site do Funbio em 24/06/2014

 

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa

Arpa contrata serviços topográficos de georreferenciamento e sinalização para a RESEX Chico Mendes (AC)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) é o maior Programa de conservação e uso sustentável de florestas tropicais do mundo, com o desafio de conservar uma amostra representativa da biodiversidade no bioma Amazônia. Tem por objetivo apoiar a proteção de 60 milhões de hectares de florestas na Amazônia – 12% da região amazônica – até 2018, por meio da criação e consolidação de UCs, em um custo total estimado de US$ 395 milhões em investimentos.

Coordenado pelo Governo Federal, é implementado através de uma parceria entre os órgãos gestores de UCs, o Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), doadores, e com a Agência Alemã para a Cooperação Internacional – GIZ.

O Funbio atua desde 1995 em todo o território nacional, sendo a Instituição responsável pela gestão dos recursos financeiros do programa ARPA, entre outras coisas, adquirindo bens e contratando serviços para as Unidades de Conservação. Desta forma, convidamos às empresas/instituições interessadas em participar no processo de seleção supracitado, a encaminhar por e-mail até o dia 28 de Abril de 2014, manifestação de interesse demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços, apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no objeto descrito no Termo de Referência (TdR)  e os demais documentos que  o complementam abaixo:

Os e-mails deverão ser encaminhados devidamente identificados como “Manifestação de Interesse para realização dos serviços topográficos de georreferenciamento e sinalização na Reserva Extrativista Chico Mendes/AC – Nome de sua empresa”, aos cuidados de Fernanda Jacintho para fernanda.jacintho@funbio.org.br com cópia para propostas@funbio.org.br

Somente serão contatadas para participar do processo as empresas/instituições que se enquadrarem no perfil estabelecido no TdR.

Os recursos para pagamento dos serviços advém do contrato assinado entre o KfW e Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

* Matéria publicada no site do Funbio em 24/04/2014

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata Consultoria para divulgar a Reserva Extrativista Chico Mendes (AC)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional.Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.

O Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

Para participar do processo de seleção, as empresas/instituições interessadas deverão manifestar-se até o dia 29 de abril de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no TdR , apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil para a elaboração do vídeo em questão.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse Consultoria PJ_ Vídeo documentário _RESEX Chico Mendes e indicando o NOME da sua Instituição”.

Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio.

Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

Para ter acesso ao TdR , clique aqui.

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Matéria publicada no site do Funbio em 16/04/2014

 

Entrevistas, Notícias, Notícias sobre o Arpa

Depoimento: Tiago Ranzi, da Reserva Extrativista Cazumbá-Iracema (AC)

Desafios do Programa ARPA
O Programa ARPA tem como objetivo proteger 50 milhões de hectares na Amazônia e para chegar a esse resultado são necessários recursos humanos e recursos financeiros significativos. Penso que o grande desafio no momento seja principalmente o de garantir recursos humanos para a gestão das UC, visto que recursos financeiros existem porém poucas são as Unidades integrantes do Programa que possuem equipe mínima suficiente para operacionalizar esse recurso e isso afeta diretamente a execução satisfatória das ações do mesmo.É necessário avançar urgentemente nesse sentido junto aos Órgãos Gestores para cobrar a contrapartida mínima de 5 servidores para cada UC do Programa, bem como, de uma equipe mínima suficiente de Pontos Focais e na UCP/MMA.

Conquistas
É notável e comprovado, mediante Auditoria do TCU publicada no final de 2013, que as UCs apoiadas pelo Programa ARPA possuem uma gestão mais avançada em razão dos benefícios trazidos pelo mesmo. Penso que a facilidade de operacionalização de recursos diretos é um dos grandes destaques do Programa visto que minimiza a burocracia e garante condições para que as atividades necessárias da gestão sejam desenvolvidas no tempo e da forma que foram planejadas.

Em termos de gestão do Programa, uma das principais conquistas foi a criação da Comissão de Gestores e sua representação dentro das instâncias de gestão como o Fórum Técnico e o Comitê do Programa. É fundamental que os gestores tenham cadeira nessas instâncias pois, como estão na ponta e são responsáveis pela execução direta do Programa podem contribuir de forma grandiosa com as discussões objetivando superar os desafios e garantir a melhoria do ARPA.

Perspectivas
Infelizmente, a depender do que vemos no cenário atual da Política Ambiental no Brasil, o Programa ARPA ainda será necessário por muitos anos e continuará a ser um grande diferencial diante das demais UCs. Os cortes nos orçamentos dos Órgãos Gestores têm atingido diretamente a gestão das UCs num âmbito mais amplo, e de forma mais pesada as que estão na Amazônia, onde os custos, as dificuldades e as distâncias são maiores do que no restante do Brasil. Grande parte dos custos de consolidação das UCs do Programa, que deveria ser assumido pelos Governos Federal e Estaduais, por enquanto dependerá de doadores (principalmente internacionais) para se manter. Por enquanto, é o que se vislumbra para o futuro dessas UCs.

Concedido em 19/03/2014

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Exposição fotográfica celebra os 24 anos da Resex Chico Mendes (AC)

A Reserva Extrativista (RESEX) Chico Mendes festeja 24 anos de criação no próximo dia 12 de março. Como parte das comemorações, o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e a Biblioteca da Floresta, no Acre, promoverão uma exposição fotográfica que mostrará o cotidiano da população local e as belezas naturais da segunda maior unidade de conservação (UC) brasileira em extensão. As imagens inéditas que farão parte da exposição, foram capturadas durante uma expedição realizada pelo ICMBio e pelo World Wide Fund for Nature (WWF-Brasil), em setembro de 2013.

Foram selecionadas 20 fotos que visam mostrar a riqueza da biodiversidade existente na UC e o dia-a-dia de seus moradores, assim como sensibilizar o grande público para a importância da manutenção de uma área como esta. A exposição será inaugurada em maio, na Biblioteca da Floresta e na Resex Chico Mendes, onde percorrerá os sete municípios do entorno da UC, que tem quase um milhão de hectares e 1,8 mil famílias.

De acordo com Íria de Oliveira, analista ambiental do ICMBio, “a exposição itinerante é uma comemoração que será estendida até os 25 anos da Resex. A atividade é muito importante para que o público em geral, principalmente crianças e adolescentes, possam compreender a importância da reserva extrativista e aprendam a cuidar e respeitá-la”.

Para Ricardo Mello, coordenador adjunto do Programa Amazônia do WWF-Brasil, a exposição é uma oportunidade para “divulgar como as parcerias ente moradores e instituições têm feito das áreas protegidas do Acre um exemplo de desenvolvimento sustentável para o resto do país, como é também o caso da Reserva Extrativista do Cazumbá-Iracema, em Sena Madureira (AC) que, de acordo com o último relatório do Tribunal de Contas da União (TCU), foi considerada uma das dez UC brasileiras com alto grau de implementação”.

Dentro da Reserva Extrativista Chico Mendes, o WWF-Brasil trabalha em conjunto com o ICMBio e outros parceiros no apoio ao manejo florestal comunitário, além de dar suporte à elaboração dos planos de manejo e à criação e capacitação do conselho gestor da unidade, além de propor ferramentas, políticas e análises que promovam a melhoria do planejamento e gestão do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC).
A exposição fotográfica também será uma das atrações da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que ocorrerá em julho na Universidade Federal do Acre.
Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280

* Matéria publicada no site do ICMBio em 27/02/2014