Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

XI Reunião do Conselho Deliberativo da RESEX do Baixo Juruá (AM) define prioridades e Plano de Ação da UC

Nos dias 25 e 26 de abril, aconteceu a XI Reunião do Conselho Deliberativo da RESEX do Baixo Juruá (AM). Estiveram presentes 51 participantes, incluindo dez comunidades residentes na Unidade de Conservação (UC) e entorno e 55 instituições locais e regionais. A Plenária do Conselho foi realizada na Câmara de Vereadores de Juruá e teve a presença de 15 das 17 representações que a compõem. O encontro teve como pauta a elaboração do Plano de Ação do Conselho (2015); Priorização de atividades no Planejamento da UC (2015); Manejo Florestal; Ocupação indígena no Igarapé Juruapuca; Atendimento da RESEX no Programa Luz Para Todos; Conservação de Quelônios; Acompanhamento técnico da pesca manejada do Pirarucu na RESEX; Reforma das casas construídas com financiamento do INCRA; Doação de terreno para a Usina de Extração de Óleos Vegetais; e pesquisas em andamento na RESEX.

DSC02763

Entre os principais resultados dos trabalhos realizados, durante os dois dias de trabalho, estão: matriz de prioridades da RESEX, com dez ítens; o Plano de Ação do Conselho, com definição de metas, atividades e cronograma de ação dos Grupos de Trabalho; a aprovação de áreas para o Manejo Florestal Comunitário, a ser realizado conforme a Instrução Normativa do ICMBio Número 16 de 04/08/2011; a definição de estratégias de ação para a conservação de quelônios, incluindo vigilância comunitária, monitoramento e fiscalização; e a deliberação de ações a serem realizadas pelo órgão gestor da UC e instituições parceiras para viabilizar o atendimento das comunidades pelas principais políticas públicas direcionadas a Saúde, Educação, Energia, Cadastro de Moradores e Habitação. A atividade contou com recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA).

DSC02745

Fonte/Fotos: ICMBio – órgão gestor da RESEX do Baixo Juruá (AM)

 

 

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

RESEX do Baixo Juruá (AM) reúne conselho e instala placas de sinalização

Placa BotafogoEntre os dias 23 de março a 01 de abril, foi realizada a mobilização para XI Reunião do Conselho Deliberativo da Reserva Extrativista do Baixo Juruá, que acontecerá nos dias 25 e 26 de Abril no município de Juruá no estado do Amazonas. Atualmente, o conselho deliberativo é formado por dezessete cadeiras, sendo oito delas de representação direta dos comunitários, entre os seis conselheiros das comunidades, o representante da associação dos produtores da RESEX e o representante do grupo de jovens protagonistas da unidade. A mobilização é a oportunidade de esclarecer os assuntos da pauta da reunião do conselho, para que a comunidade apresente seu posicionamento ao seu representante, que será seu porta voz na reunião do conselho, no entanto, todos os comunitários são convidados e incentivados a participar da reunião. Além dos comunitários, foram convocados para a reunião, os representantes das instituições parceiras na cidade de Juruá, que também compõem o conselho deliberativo.

A expedição também teve o objetivo de instalar placas sinalizadoras nas comunidades da RESEX. Foram instaladas, com o apoio dos comunitários, 13 placas com a nomenclatura de cada comunidade pertencente a Reserva. Com as placas sinalizadoras quem passa em frente ou pretende entrar na comunidade, sabe que esta, integra uma unidade de conservação federal, estando sujeito as regras estabelecidas no plano de manejo da unidade. As placas também representam um marco físico para as comunidades, fortalecendo o sentimento de pertencimento a reserva extrativista. As atividades foram realizadas com recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA).

FONTE: ICMBio / Órgão Gestor da RESEX do Baixo Juruá (AM)

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Tecnologias sociais garantem água potável na Amazônia

Parceria com Memorial Chico Mendes vai beneficiar 2,8 mil famílias de baixa renda de reservas extrativistas de 14 municípios dos estados do Acre, Amapá, Amazônia e Pará

Parceria entre o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e o Instituto Memorial Chico Mendes vai garantir água potável a 2,8 mil famílias de baixa renda de oito reservas extrativistas em 14 municípios dos estados do Acre, Amapá, Amazônia e Pará. Ao todo, o governo federal está investindo R$ 3 milhões na ação.

O secretário nacional de Segurança Alimentar e Nutricional do MDS, Arnoldo de Campos, apresentou nesta segunda-feira (9) o projeto, durante Encontro Extrativista Sobre Políticas Públicas, em Belém (PA). “Apesar da abundância de água na região Amazônica, a população de baixa renda não tem acesso à água própria para consumo. Como a regularidade da chuva na região é maior, os sistemas permitirão melhor aproveitamento da água pluvial, que reservada e tratada de forma adequada é própria para o consumo e outros usos domésticos”, explica.

Serão implantadas duas tecnologias: sistemas pluviais de Multiuso Autônomo e Multiuso Comunitário. No sistema Multiuso Autônomo, cada família poderá captar, armazenar e filtrar até seis mil litros de água da chuva. Já no Multiuso Comunitário, além das unidades domiciliares, também será instalado um módulo complementar de abastecimento com uma rede de distribuição, sendo acionado somente quando esgotar as reservas domiciliares.

Acesse aqui:
Infográfico explica os sistemas

As entidades que irão executar o projeto serão selecionadas pelo Memorial Chico Mendes. Elas vão mobilizar, selecionar e cadastrar as famílias em situação de extrema pobreza que não têm acesso adequado à fonte de água potável e que estejam inscritas no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal. Após a seleção, as famílias recebem capacitação sobre o uso adequado das tecnologias e sobre a gestão da água armazenada. E algumas pessoas terão treinamento para a construção dos sistemas.

“Já entregamos mais de 1 milhão de cisternas para consumo humano no Semiárido”, lembrou o secretário. “Com essas novas tecnologias, passaremos a atender mais adequadamente também às demandas por acesso à água da região Norte”.

Mais parcerias – Para garantir água de qualidade no Pará, o MDS também firmou convênio com o governo do estado. Ao todo, serão aplicados R$ 4,2 milhões para beneficiar 800 famílias em nove municípios.

Já a parceria com Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia (Ipam) vai ter investimento de R$ 2,9 milhões. Serão atendidas 590 famílias em três municípios.

Informações sobre os programas do MDS:

0800-707-2003
mdspravoce.mds.gov.br

Informações para a imprensa:
Ascom/MDS
(61) 2030-1021
www.mds.gov.br/saladeimprensa

* Matéria publicada no portal do MDS em 09/03/2015