Notícias, Notícias sobre o Arpa

Curso de conteúdo, tutoria e administração da plataforma moodle tem vagas para o Arpa

Ao todo, 10 Vagas são destinadas a gestores envolvidos em estratégias de Educação à distância no Programa Arpa. Interessados podem acessar o formulário de inscrição até 26 de novembro aqui. O curso tem uma carga horária de 40 horas, sendo 16h a distância e 24h presenciais. Confira outros detalhes e condições de participação clicando na imagem abaixo:

 

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias sobre o Arpa

Oficina de planejamento da Fase III do Arpa acontece em Brasília

Sete Unidades de Conservação receberão R$8,9 milhões no âmbito da Fase III, que prevê a continuidade do Programa pelos próximos 25 anos

Na última quarta-feira (1/10), representantes das sete Unidades de Conservação (UCs) que iniciam a Fase III do Arpa, estiveram reunidos em Brasília (DF) para preencher os planos de trabalho do biênio 2014-2015.  O encontro teve ainda a presença do novo coordenador da Unidade de Coordenação do Programa (UCP), Thiago Barros e sua equipe, de representantes do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e de Pontos Focais do Tocantins e Amazonas.

No início do encontro, Thiago Barros afirmou que as três Unidades de Grau II – PE Cantão (TO), Rebio Jaru (RO) e Resex Rio Xingu (PA) – e as quatro Unidades de Grau I –Parna do Juruena (MT/AM), Resex Arapixi, Resex do Rio Jutaí e Mosaico do Apuí (AM) – receberão R$ 8.912.007,63 do Fundo de Transição criado para a gestão e manejo das UCs do Arpa pelos próximos 25 anos. “É o primeiro desembolso no âmbito da terceira fase do Programa, que tem como meta consolidar 60 milhões de hectares de Unidades de Conservação na Amazônia, nos âmbitos federal e estadual”, explicou o gestor.
Representantes de sete UCs e órgão gestores reúnem-se em Brasília para preencher os primeiros planos de trabalho da Fase III do Arpa. Foto: Fábia Galvão
Thiago Barros também apresentou as novidades da Fase III do Arpa: a revisão dos tetos do Programa, o aporte de recursos condicionado ao avanço na Ferramenta de Avaliação de Unidades de Conservação (FAUC), a existência de uma lista indicativa de equipamentos elegíveis para aquisição no âmbito do Arpa e a relação direta entre as UCs e os marcos referenciais do Programa.

O coordenador da UCP falou ainda sobre as condições de desembolso do Fundo de Transição, que incluem a entrega de sete relatórios, o desempenho das Unidades em prol da sua consolidação e  o monitoramento da conservação da biodiversidade, entre outros critérios. Por fim, forneceu instruções gerais para o preenchimento dos planos de trabalho 2014-2015. Ao longo do dia, os representantes das UCs tiveram o apoio dos membros da UCP e concluíram seus planejamentos.

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa

ICMBio participa de Seminário de Monitoramento da Biodiversidade

Evento acontece até o dia 26 de setembro, em Manaus

ICMBio participa de Seminário de Monitoramento da Biodiversidade
Começou nesta segunda-feira (22), em Manaus (AM), o Seminário Internacional de Monitoramento Participativo para o Manejo da Biodiversidade e dos Recursos Naturais Renováveis. O evento acontecerá até o dia 26 de setembro no Hotel Intercity Premium Manaus. Durante o seminário, haverá troca de experiências entre representantes de comunidades, técnicos de organizações parceiras, gestores públicos e acadêmicos especialistas.

O objetivo é fortalecer o monitoramento como elemento-chave para a conservação do meio ambiente e dos recursos naturais e criar diretrizes estratégicas para o envolvimento local nessas iniciativas. Por isso, a participação local é considerada transformadora em relação à escala, custo e qualidade do processo de decisão para conservação da biodiversidade.

Além disso, a ação pode reduzir conflitos pelo uso dos recursos naturais e ajudar no combate aos usos predatórios e ilegais desses recursos em áreas protegidas e terras comunitárias. Assim, a abordagem participativa do monitoramento da biodiversidade pode ser uma complementação de alta qualidade e transformadora do monitoramento executado por cientistas.

Com o monitoramento e manejo participativo, as comunidades locais podem se tornar vozes ativas e engajadas na discussão e implementação de políticas públicas para conservação e uso sustentável nas diversas esferas regionais, nacionais e internacionais. Comunidades locais também podem contribuir diretamente para o conhecimento de base científica, necessário para melhor documentar os benefícios das políticas de conservação e uso das terras,como as áreas protegidas e as concessões de direitos de uso às comunidades.

Programação

O seminário em Manaus representa a mais abrangente reunião já realizada com o envolvimento de representantes comunitários, pesquisadores e praticantes. O evento será dividido em duas partes. Nos dois primeiros dias (22 e 23), haverá o 1° Encontro da Rede Internacional de Monitoramento e Manejo Participativo (Participatory Monitoring and Management Partnership – PMMP), que pretende promover o diálogo entre comunidades envolvidas nestas ações e as organizações parceiras.

Nos três dias seguintes (24, 25 e 26), acadêmicos reconhecidos internacionalmente, extensionistas, comunitários e representantes de governo envolvidos com iniciativas de monitoramento se reunirão para debater, por dia, um tema sobre o envolvimento local, buscando o alinhamento técnico e político para promover o monitoramento participativo.

A partir dos trabalhos apresentados pelos participantes , pretende-se elaborar um documento com recomendações e orientações para o envolvimento comunitário no monitoramento da biodiversidade e dos recursos naturais. Com a presença de representantes de iniciativas de monitoramento da Venezuela, Bolívia, Peru, Colômbia, Equador, Guatemala, México, EUA, Alaska, Austrália, Timor Leste, Filipinas, Indonésia, Madagascar, Inglaterra, Alemanha, Dinamarca, Groenlândia, além de vários estados do Brasil, os debates serão realizados oficialmente em inglês, espanhol e português e terão tradução simultânea nos três idiomas.

O Seminário Internacional de Monitoramento Participativo para o Manejo da Biodiversidade e dos Recursos Naturais Renováveis é realizado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA), Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e parceria da Agência Alemã de Cooperação Técnica (GIZ), por encargo do Ministério Federal do Meio Ambiente, Proteção da Natureza, Construção e Segurança Nuclear da Alemanha (BMUB), Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), Projeto Manguezais do Brasil, The Gordon and Betty Moore Foundation, Wildlife Conservation Society (WCS), Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPE), Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas (SDS) e Nordisk Fond for Miljø og Udvikling, com apoio do Secretariado da Convenção da Diversidade Biológica (CDB).

Para maiores informações, clique aqui e acesse o site do evento

* Matéria assinada por Lorene Lima e publicada no site do ICMBio em 22/09/2014

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Curso de Elaboração de Projetos de Conservação tem 15 vagas para gestores do Arpa

O curso destina 15 vagas aos servidores federais e estaduais em exercício nas Unidades de Conservação integrantes do programa Arpa, bem como parceiros envolvidos no planejamento e gestão dessas UCs. Outras informações e as inscrições estão disponíveis aqui e clicando na imagem abaixo:

Notícias, Notícias sobre o Arpa

Parques Nacionais da Amazônia: legado dos brasileiros

O presidente do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Roberto Vizentin, participou na sexta-feira (5) da abertura da exposição fotográfica “Parques Nacionais da Amazônia: legado dos brasileiros”, no Espaço Israel Pinheiro, em Brasília, próximo ao Palácio do Planalto. O evento faz parte da comemoração do Dia da Amazônia, celebrado em 5 de setembro, em parceria com o WWF-Brasil. A exposição ficará aberta ao público até o dia 6 de outubro.

O objetivo é ilustrar por meio de textos e fotos a beleza e o valor da biodiversidade das Unidades de Conservação (UCs) amazônicas, mostrando as principais ameaças e desafios à conservação de espécies e da natureza nesses locais. “A Amazônia tem passado por um processo brutal de mudanças na sua configuração espacial e queremos mostrar que é possível sim conciliar o desenvolvimento do País com a conservação da biodiversidade”, afirmou Vizentin.

Participam da exposição três Parques Nacionais do bioma: Serra do Pardo (PA), Montanhas do Tumucumaque (AP) e Juruena (AM/MT). “Essas UCs são apenas uma amostra da importância dessas áreas para a população brasileira e para a conservação da biodiversidade, alertando para as diversas ameaças que os Parques têm sofrido por toda a Amazônia, como a construção de hidrelétricas e a aprovação de projetos de lei que têm reduzido ou descriado diversas UCs na região”, explicou Marco Lentini, coordenador do Programa Amazônia do WWF-Brasil.

Dentre os biomas brasileiros, a Amazônia é o que possui a maior extensão de áreas protegidas. Ao todo, são 314 UCs, federais, estaduais e municipais, que representam mais de 1 milhão de km² ou 26% do território da Amazônia brasileira. Durante o evento, as gestoras dos Parques Nacionais Serra do Pardo e Juruena, Leidiane Diniz Brusnello e Lourdes Iarema, respectivamente, fizeram palestras e mostraram as principais ameaças e oportunidades das UCs que representam.

“As unidades da Amazônia são pouco divulgadas, o que se deve em parte ao seu isolamento e ao número reduzido de visitantes que recebem. Entretanto, várias dessas unidades, em especial os Parque Nacionais, apresentam características únicas de grande interesse para turismo, educação ambiental e pesquisa”, destacou Leidiane.

Após as apresentações, o público elaborou perguntas e participou de um debate com as gestoras, que responderam aos questionamentos apresentados.

Na entrada da exposição existe um totem interativo com textos, fotos e vídeos de diversas UCs brasileiras, à disposição dos visitantes, além de jogos educativos sobre alguns dos Parques Nacionais, ricos em belezas cênicas e com variedade de espécies da fauna e da flora. Durante o mês de setembro, também faz parte da programação do Espaço Israel Pinheiro a visita de alunos da rede pública do Distrito Federal. O objetivo é mostrar que as UCs brasileiras são um legado para as futuras gerações, aproximando o público da biodiversidade brasileira e disseminando informações importantes à conservação de áreas protegidas na Amazônia.

Foto de Leonardo Milano

*Matéria publicada em 12/09/2014 no ICMBio em foco.

 

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa, Uncategorized

Evento debate Gestão para Resultados no ICMBio

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) promoverá de 10 a 12 de setembro, no auditório da sede, em Brasília, a Jornada sobre Gestão nas Unidades de Conservação. O evento marca o encerramento do 2º Ciclo de Formação em Gestão para Resultados e será uma oportunidade para divulgação de trabalhos realizados por participantes da capacitação.

Cada um dos três dias da programação dará destaque a um tema específico: Contexto do ICMBio, Diretrizes Governamentais e de Gestão e Inovação e Metodologias de Gestão. Servidores do Instituto que participaram das duas edições da capacitação em Gestão para Resultados – que ocorreram nos períodos de julho de 2012 a maio de 2013 e maio de 2013 a maio de 2014, respectivamente – irão expor os trabalhos desenvolvidos durante o curso. Nos painéis serão expostas as experiências na elaboração de planejamentos estratégicos, modelagem de processos de gestão, reavaliação de diretrizes estratégicas e implantação da gestão estratégica.

Cesar Pereira Viana, coordenador de Planejamento (Coplan/ Diplan), explica que os trabalhos realizados pelos alunos-servidores propõem bases sustentáveis de desenvolvimento institucional, com a intencionalidade de que o Instituto Chico Mendes deva fazer bem o que lhe é próprio e que consta da sua missão institucional. “A jornada é um passo importante para a apropriação institucional da metodologia estudada no Curso do Programa de Gestão para Resultados, bem como para dar transparência às ações de gestão que estão sendo implementadas. Além disso, o convite a parceiros externos promoverá entendimentos sobre o pensamento governamental e do setor privado”, afirmou Cesar.

Representantes da Controladoria Geral da União (CGU), do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), do Ministério do Meio Ambiente (MMA), da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), da organização Nexucs e do Instituto Publix também apresentarão suas experiências de gestão.

A jornada será transmitida ao vivo pelo endereço eletrônico http://assiste.icmbio.gov.br – com acesso preferencial pelo navegador Google Chrome. O evento é organizado pela Diretoria de Planejamento, Administração e Logística (Diplan/ICMBio) e tem apoio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) e da Agência Alemã de Cooperação Técnica (GIZ).

*Matéria publicada no ICMBio em foco em 05/09/2014

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa

Venha Pesquisar Conosco – ICMBio

Foi lançada no dia 28 de agosto de 2014, data do 7º aniversário do ICMBio, a publicação “Venha Pesquisar Conosco”, que traz como conteúdo as principais demandas de pesquisa do Instituto, um panorama das pesquisas realizadas nas Unidades de Conservação Federais e Centros de Pesquisa e Conservação do ICMBio, a infraestrutura de apoio à pesquisa nas UCs, gestão da informação e mecanismos internos de apoio. Como explicita o próprio título, é um convite à comunidade científica para realizar pesquisas nesses ricos espaços protegidos!

    A publicação pode ser acessada por meio do link abaixo:
    Divulgue, acesse e venha pesquisar conosco!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Foto por Val Campos (Arquivo CPB / ICMBio – Paraíba)

*Matéria publicada no dia 28/08/2014

Notícias, Outras Notícias

Servidores do ICMBio participam de Seminário Internacional de Áreas Protegidas

Os servidores Alexandre Silva Oliveira, Cintia Brazão e Ivan Machado Vasconcelos, representantes dos Parques Nacionais do Rio Novo (PA), da Chapada dos Guimarães (MT) e do Cabo Orange (AP) participaram do 15º Seminário Internacional sobre Manejo de Áreas Protegidas. O evento ocorreu na cidade de Washington DC e no estado de Montana, nos Estados Unidos, entre os dias 16 de julho e 4 de agosto.

O seminário foi realizado pelo Serviço Florestal Americano (USFS), Consórcio Internacional de Manejo de Áreas Protegidas e universidades de Montana, Idaho e Colorado. A atividade faz parte do plano de trabalho da parceria firmada entre o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e o USFS. O evento tem apoio da Cooperação Norte Americana (Usaid), no âmbito da parceria com o Ministério do Meio Ambiente. Para participar, os servidores foram selecionados pela Coordenação-geral de Gestão de Pessoas (CGGP/Diplan).

A capacitação é estruturada em torno de quatro temáticas principais: Planos Integrados de Áreas Protegidas; Envolvimento Comunitário; Turismo, Concessão e Manejo de Visitação e Manejo em Face as Mudanças Climáticas. Os participantes visitaram Florestas Nacionais, conheceram o manejo de suas áreas e o trabalho do Serviço Florestal Americano. Eles também tiveram a oportunidade de conhecer os Parques Nacionais Yellowstone e Glacier, discutir a gestão deles com as equipes das unidades e conhecer políticas públicas relacionadas a áreas protegidas dos EUA.

Participaram 30 pessoas de 20 países, o que possibilitou a troca e discussão dos diferentes contextos que as Unidades de Conservação estão inseridas. Segundo Cintia Brazão, o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães recebe mais de 100 mil pessoas por ano e está em plena fase de estruturação para visitação. “Com o seminário foi possível trocar experiências e conhecimento sobre turismo em áreas protegidas em diferentes lugares do mundo”, relatou.

*Matéria publicada no ICMBio em foco no dia 22/08/2014

Notícias, Notícias sobre o Arpa

Academia Nacional da Biodiversidade sedia curso prático sobre GPS e softwares de localização

A Academia Nacional da Biodiversidade (Acadebio) realizou um curso prático sobre GPS e softwares de localização, como Google Earth e TrackMaker, entre os dias 05 e 08 de agosto. Ao todo, 19 pessoas que atuam em Unidades do Programa de Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) foram capacitadas. Dez delas são do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Essas ferramentas de localização são utilizadas por técnicos e analisadas nas atividades de campo que apoiam a gestão das Unidades de Conservação (UCs) para facilitar a obtenção de dados geográficos e delimitação de áreas. “É uma forma de o usuário aprofundar o conhecimento desses softwares no dia-a-dia. A especialização, mesmo que básica, já demonstra uma melhora no domínio da técnica”, disse Caren Andreis, analista ambiental da Coordenação Regional em Florianópolis (CR9).

Os dados obtidos, após processados pelos softwares, geram informações que contribuem para o planejamento e monitoramento das ações de proteção, consolidação territorial, manejo e conservação de espécies, uso público, manejo e controle do uso de fogo e outras atividades que utilizam informações espaciais. “Já usava o equipamento, mas tinha algumas dificuldades na hora do manuseio. O curso ajudou muito nessa parte. Vai contribuir muito na elaboração de mapas”, afirmou Marcos Paulo Lima Barros, chefe da Reserva de Desenvolvimento Sustentável (RDS) do Juma, UC estadual do Amazonas.

*Matéria publicada no ICMBio em Foco dia 15/08/2014