Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Reserva Biológica do Gurupi capacita conselheiros

A reserva Biológica (rebio) do Gurupi realizou em Imperatriz (MA), no mês de fevereiro, o primeiro Curso de Capacitação para os membros de seu Conselho Consultivo. Titulares e suplentes, além de gestores da rebio, participaram do evento, que teve a moderação das pesquisadoras Regina Oliveira e Benedita Barros, do Museu Emílio Goeldi.

Durante os dois dias de formação, foram abordados temas que envolvem a gestão da Unidade de Conservação (UC) e o perfil dos conselheiros, além de realizados exercícios que permitissem o debate sobre a função e o papel do Conselho e de seus membros. Na oportunidade, também foram planejadas as ações do conselho gestor para este ano nas áreas de proteção, educação ambiental, políticas públicas e pesquisa.

Para os participantes, o encontro foi inovador ao reuni-los fora do Conselho e para o planejamento de ações relativas à implementação e gestão da rebio do Gurupi. “Acreditamos que os objetivos do encontro foram alcançados, pois foi uma oportunidade para incentivar o comprometimento dos conselheiros com a missão do Conselho Consultivo na proteção e conservação da Rebio do Gurupi”, afirmou Evane Alves Lisboa, chefe da UC.

Criada em 1988, a reserva Biológica do Gurupi tem uma área de 271.197 hectares, abrangendo três municípios: Bom Jardim, São João do Carú e Centro Novo do Maranhão. Seu Conselho Consultivo foi criado em maio de 2013 e desde então contribui com diversas ações realizadas pela unidade de Conservação.

O curso foi realizado com recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).
* Publicado no ICMBio em Foco 334

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Iniciada a reforma do escritório da Rebio do Gurupi (MA)

Por Luciana Freitas

O Escritório da Rebio do Gurupi, construído em 1989 e localizado em Açailândia (MA), entrou em reforma no dia 14 de janeiro de 2015. Na reforma, serão realizadas melhorias no prédio, como: novo piso nas áreas internas e externas, pintura, troca de telhas e reforma de instalações elétricas e hidráulicas, do alojamento e banheiro.

Com previsão para término até o mês de abril, a reforma está sendo realizada com recursos do ARPA – Programa Áreas Protegidas da Amazônia e trará melhorias na infra-estrutura física e na logística dos trabalhos realizados na Unidade do ICMBio em Açailândia (MA).

A Rebio do Gurupi está sob a chefia de Evane Lisboa e conta com uma analista ambiental, e duas técnicas ambientais recém-empossadas, o que trará melhoria na eficiência dos trabalhos relacionados à fiscalização e proteção de umas das unidades mais importantes do Brasil para a preservação da Amazônia maranhense. A reforma da infraestrutura física contribuirá para que os trabalhos realizados em prol do meio ambiente na região sejam mais eficazes.

* Fotos: Acervo da Rebio Gurupi

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Revista Brasileira de Ecoturismo publica artigo sobre perfil de visitação em comunidade da Resex de Cururupu

A Revista Brasileira de Ecoturismo, produzida pela Sociedade Brasileira de Ecoturismo, publicou no último mês o artigo “Perfi l da visitação na Ilha dos Lençóis, comunidade de pescadores tradicionais, Reserva Extrativista de Cururupu (MA)”. O estudo é resultado de um projeto de pesquisa dos analistas ambientais Carolina Alvite, atualmente na Coordenação Regional (CR) 9; Marcelo Vidal e Oscar Borreani, do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT) e Eduardo Borba, da Reserva Extrativista (Resex) de Cururupu.

A pesquisa foi desenvolvida pelo CNPT em parceria com a Resex de Cururupu (MA) e com os moradores da Ilha dos Lençóis. No estudo, os analistas apresentam o turismo de base comunitária como uma alternativa de visitação nas Reservas Extrativistas, categoria de Unidades de Conservação onde a presença de populações tradicionais é permitida, incorporando não apenas o patrimônio natural, mas também o patrimônio cultural e o modo de vida das comunidades. Essa forma de fazer o turismo possibilita as relações de hospitalidade, intercâmbio cultural, protagonismo e fortalecimento da autoestima das
comunidades e também a conservação ambiental, como valor intrínseco aos seus modos de vida.

O artigo caracteriza a visitação na Ilha dos Lençóis, comunidade de pescadores tracionais inserida na Resex de Cururupu, englobando aspectos como o perfi l do visitante, a organização e motivação da viagem, a forma de estadia e principais atrativos procurados, e sugere ações para o manejo do uso público na área. “Constatamos que o visitante da Ilha dos Lençóis não valoriza apenas as belezas naturais, mas também o enorme patrimônio cultural existente na comunidade. É um público compatível com a proposta de turismo de base comunitária, mostrando para o Instiuto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) que há demanda e que é possível ampliar o leque de oportunidades de visitação nas Unidades de Conservação de Uso Sustentável brasileiras”, afi rmou Carolina Alvite, que coordenou a pesquisa.

O projeto contou com o apoio fi nanceiro do Projeto PNUD BRA/08/023, por meio de edital de projetos de pesquisa da Diretoria de Pesquisa, Avaliação e Monitoramento da Biodiversidade (Dibio/ICMBio). O artigo pode ser acessado em http://migre.me/n8CJK.

* Publicado no Informativo ICMBio em Foco 323