Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Parque Nacional da Serra do Pardo (PA) retoma reuniões do conselho

Entre os dias 19 e 20 de março de 2014 foi realizada na Base 1 do Parque Nacional da Serra do Pardo, no Pará, a segunda reunião do Conselho Consultivo da unidade de conservação (UC). Entre os temas abordados estiveram a elaboração do plano de manejo e a demarcação da unidade, que devem ocorrer ainda em 2014 com o apoio do Projeto Terra do Meio.

Além disso, foi realizada uma breve capacitação sobre plano de manejo, em que foram apresentados termos importantes para construção do documento e que serão aprofundados na oficina de planejamento participativo que ocorrerá no mês de junho.

O conselho debateu ainda a situação da população tradicional que vive na localidade. Foram esclarecidas várias dúvidas acerca dos usos dos moradores, determinando um calendário de ações para que haja um levantamento do perfil e diagnóstico participativo desses usos.

A Fundação Nacional do Índio (Funai) e a liderança indígena Inamoa Parakanã estiveram presentes na reunião, propondo um novo encontro para integrar as ações de proteção da Funai e Instituto Chico Mendes no Rio Xingu.

Por fim, um plano de ação foi estabelecido, buscando prever as atividades relacionadas à
regularização fundiária, proteção, pesquisa, termo de compromisso e plano de manejo. O Coordenador Regional da CR-3 reforço ainda a importância da participação social na gestão das unidades de conservação e agradeceu a oportunidade de dividir experiências com o conselho.

Na ocasião foi apresentada a nova gestora do parque, a analista ambiental Leidiane Diniz Brusnello, que agradeceu a disponibilidade dos conselheiros em participar da reunião e solicitou o apoio de todos para realizar um bom trabalho na gestão, que até então estava sem um responsável.

Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280

* Matéria publicada no site do ICMBio em 25/03/2014

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa

Projeto Terra do Meio reinicia o processo para contratação de empresa de Consultoria para elaboração de Plano de Manejo da Floresta Estadual (Flota) Iriri (PA)

O Projeto Terra do Meio, financiado pela União Europeia, tem a missão de contribuir com a redução do desmatamento e com a conservação da biodiversidade da região amazônica. O projeto está sob coordenação do MMA e é executado pelo ICMBio e SEMA/PA, e seus recursos são gerenciados pelo Funbio e aplicados na operacionalização de conselhos gestores, elaboração de planos de manejo e proteção, compra de equipamentos, monitoramento do uso de recursos naturais e na implementação de estratégias de desenvolvimento local sustentável.Convidamos as empresas/instituições interessadas em participar do processo de seleção para elaboração do Plano de Manejo da Floresta Estadual do Iriri, a manifestar-se até o dia 31 de março de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no Termo de Referência 2013.0923.00006-0 apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito para a realização da elaboração do Plano de Manejo.As manifestações de interesse e seus documentos, deverão ser encaminhados identificados como “Manifestação de Interesse para contratação de consultoria para elaboração de Plano de Manejo FES Iriri – Nome da sua empresa”, aos cuidados de Fernanda Jacintho, para fernanda.jacintho@funbio.org.br

Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados. O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio.

Os recursos para pagamento dos serviços advém do contrato assinado entre a Comunidade Europeia e Funbio. O Funbio entrará em contato, solicitando propostas, somente às empresas que apresentarem capacidade técnica básica e cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Matéria publicada no site do Funbio em 25/03/2014

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa, Uncategorized

Projeto Terra do Meio contrata empresa de Consultoria para realização de serviços topográficos de georreferenciamento e sinalização na RESEX Riozinho do Anfrísio (PA)

O Projeto Terra do Meio, financiado pela União Europeia, tem a missão de contribuir com a redução do des­matamento e com a conservação da biodiversidade da região amazônica. O projeto está sob coordenação do MMA e é executado pelo ICMBio e SEMA/PA, e seus recursos são gerenciados pelo Funbio e aplicados na operacionalização de conselhos gestores, elaboração de planos de manejo e proteção, compra de equipamentos, monitoramento do uso de recursos naturais e na implementação de estratégias de desenvolvimento local sustentável.Para participar do processo de seleção, as empresas/instituições interessadas deverão manifestar-se até o dia 21 de março de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no TdR abaixo, apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil para a realização dos serviços topográficos de georreferenciamento e sinalização na Reserva Extrativista Riozinho do Anfrísio.Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse_ Consultoria PJ_ Serviços topográficos na RESEX Riozinho do Anfrísio e indicando o NOME da Instituição”.Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo com as regras de Contratações e Aquisições da União Européia.

Os recursos para pagamento dos serviços advém do contrato assinado entre a Comunidade Europeia e Funbio.

Clique aqui para ter acesso ao TdR.

* Matéria publicada no site do Funbio em 13/03/2014

 

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa

Projeto Terra do Meio contrata empresa de Consultoria para realização de serviços topográficos de georreferenciamento e sinalização no Parque Nacional Serra do Pardo (PA)

O Projeto Terra do Meio, financiado pela União Europeia, tem a missão de contribuir com a redução do des­matamento e com a conservação da biodiversidade da região amazônica. O projeto está sob coordenação do MMA e é executado pelo ICMBio e SEMA/PA, e seus recursos são gerenciados pelo Funbio e aplicados na operacionalização de conselhos gestores, elaboração de planos de manejo e proteção, compra de equipamentos, monitoramento do uso de recursos naturais e na implementação de estratégias de desenvolvimento local sustentável.Para participar do processo de seleção, as empresas/instituições interessadas deverão manifestar-se até o dia 20 de março de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no TdR abaixo, apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito para a realização dos serviços topográficos de georreferenciamento e sinalização no Parque Nacional Serra do PardoOs documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse_ Consultoria PJ_ Serviços topográficos no PARNA Serra do Pardo e indicando o NOME da Instituição”.Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo com as regras de Contratações e Aquisições da União Européia.

Os recursos para pagamento dos serviços advém do contrato assinado entre a Comunidade Europeia e Funbio.

Clique aqui para acessar o TdR

* Matéria publicada no site do Funbio em 12/03/2014

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata Consultoria PJ para a elaboração do Plano de Manejo da RESEX Maracanã/PA

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional.Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.O Fundo Brasileiro para a biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

Para participar do processo de seleção, as empresas/instituições interessadas deverão manifestar-se até o dia 19 de março de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no TdR abaixo, apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito no TdR para a elaboração do Plano de Manejo da RESEX Maracanã/PA.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse consultoria PJ_ Plano de Manejo RESEX Maracanã e indicando o NOME da Instituição”.

Somente serão selecionados para participação no processo as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio.

Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

A presente contratação deverá obedecer os procedimentos descritos nos arquivos abaixo:

– TDR
– Instrução Normativa 01, de 18/09/2007

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Matéria publicada no site do Funbio em 10/03/2014

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa

Mosaico da Amazônia Oriental recebe operação de fiscalização

Ocorreu na segunda quinzena de janeiro atividade de fiscalização no Mosaico da Amazônia Oriental, que abrange áreas protegidas do Amapá e norte do Pará. Composta por fiscais do Instituto Chico Mendes de Consevação da Biodiversidade (ICMBio) e policiais do Batalhão Ambiental e contando com a colaboração dos indíos Wajãpi, a operação percorreu mais de 1.000 km de rios no Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, Floresta Nacional do Amapá, Floresta Estadual do Amapá e Terra Indígena Wajãpi.

A equipe de fiscalização flagrou um caçador no limite da Floresta Estadual do Amapá com o Parna Tumucumaque e dois no limite entre aquela e a Flona Amapá. Além disso, foram apreendidos três espingardas de calibre 12 e uma de calibre 22, munição, um badoque (arma artesanal utilizada em armadilhas), duas pacas (Agouti paca) e um veado-mateiro (Mazama americana). Os infratores foram conduzidos para as delegacias de Polícia Civil de Pedra Branca do Amapari e Ferreira Gomes.

A caça se constitui na maior ameaça à integridade da Flona Amapá e porção sudoeste do Parna Tumucumaque. Os caçadores que agem na região se deslocam de suas moradias, muitas vezes localizadas em comunidades ou cidades distantes a mais de 50 km, para estas unidades de conservação (UCs). Há evidências de que a carne de caça é comercializada para uma clientela urbana que geralmente encomenda e arca com os custos logísticos das caçadas.

Na ação de fiscalização as equipes do parque nacional e da floresta nacional tiveram a oportunidade de compartilhar suas vivências nas atividades de fiscalização, além de discutir estratégias de repressão à caça. O objetivo é experimentar e consolidar práticas de fiscalização para realização de outras operações de forma integrada e construção de um plano de proteção para o mosaico.

 

Comunicação ICMBio
(61) 3341-9291

* Matéria publicada no site do ICMBio em 06/02/2014

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Conselho da Resex Verde para Sempre (PA) tem reunião extraordinária

Após a formação do Conselho Deliberativo da Reserva Extrativista (Resex) Verde para Sempre, com o apoio do Projeto Terra do Meio, foi realizada, nos dia 10 e 11 de dezembro, reunião extraordinária do conselho, em Porto de Moz (PA). O encontro contou com a presença de 60 participantes, entre conselheiros, residentes da Resex, representantes da Diretoria de Ações Socioambientais e Consolidação Territorial em UCs (Disat/ICMBio), do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), da Ambiente Consultoria e do Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA). Na ocasião, já foi agendada para os dias 7 e 8 de fevereiro a primeira reunião ordinária para o exercício de 2014, a qual já tem como uma das pautas a eleição para a renovação da composição do conselho.

A atual chefe da Resex, Rose Paes, tomou posse na presidência do conselho, ficando o coordenador da Coordenação Regional 3 do ICMBio (CR3), Carlos Pinheiro, como seu suplente. Ainda foi composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classifda composição do conselho.

A atual chefe da Resex, Rose Paes, tomou posse na presidência do conselho, ficando o coordenador da Coordenação Regional 3 do ICMBio (CR3), Carlos Pinheiro, como seu suplente. Ainda foi composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classificação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência na es, tomou posse na presidência do conselho, ficando o coordenador da Coordenação Regional 3 do ICMBio (CR3), Carlos Pinheiro, como seu suplente. Ainda foi composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classificação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência na es, tomou posse na presidência do conselho, ficando o coordenador da Coordenação Regional 3 do ICMBio (CR3), Carlos Pinheiro, como seu suplente. Ainda foi composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classificação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência na Resex Verde para Sempre”, da Dsc. Dra. Rosa Paes (ICMBio) e Dsc. Dr. Raimundo Cosme, coordenador do grupo de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária % composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classicação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência na Resex Verde para Sempre”, da Dsc. Dra. Rosa Paes (ICMBio) e Dsc. Dr. Raimundo Cosme, coordenador do grupo de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária % composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classificação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência nResex Verde para Sempre”, da Dsc. Dra. Rosa Paes (ICMBio) e Dsc. Dr. Raimundo Cosme, coordenador do grupo de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária % composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classificação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência nResex Verde para Sempre”, da Dsc. Dra. Rosa Paes (ICMBio) e Dsc. Dr. Raimundo Cosme, coordenador do grupo de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária % composta a Secretaria Executiva, representada pelo Comitê de Desenvolvimento Sustentável de Porto de Moz (CDS), Movimento Sindical de Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (MSTTR) e a Colônia de Pescadores de Porto de Moz (Z-64).

Em resposta às demandas da Resex, foram entregues cinco autorizações prévias à análise do Plano de Manejo para as comunidades de Inumbi, Associação Baixo Acariá, Associação Deus Proverá, Associação de Itapeuá e Associação Curuminim, o que fortalecerá os residentes no uso sustentável dos recurso madeireiros. Foi ressaltado o procedimento para solicitação de abertura de áreas de roça para cultivo de subsistência, tendo como base legal a IN 04/2009.

Ainda foram apresentados e aprovados os projetos de pesquisa “O Conselho Deliberativo da Resex Verde para Sempre – formação, representação e gestão – Um estudo de caso”, de Rejane Andrade, da Universidade Federal do Pará (UFPA), e “Levantamento e classificação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência na Resex Verde para Sempre”, da Dsc. Dra. Rosa Paes (ICMBio) e Dsc. Dr. Raimundo Cosme, coordenador do grupo de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). As propostas têm como principal objetivo o fortalecimento do conselho e o reconhecimento da paisagem desta unidade de conservação (UC), sendo que a segunda proposta resultará na transferência de tecnologia para melhor uso do solo.

Durante a reunião, a Ambiente Consultoria apresentou o projeto de Assistência Técnica Extrativista – Chamada Pública proposto pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), que visa a prestação de assistência técnica e extensão rural em UCs de uso sustentável, que já se encontra em campo, e cuja primeira visita para realização de diagnóstico ocorreu no setor baixo do rio Jaurucu – comunidades do Carmelino, Arirua, Jussará, Santa Clara, Fazendinha e São Francisco.

O coordenador regional, Carlos Pinheiro, informou sobre a doação da madeira retirada pelo empreendimento de construção da Hidroelétrica de Belo Monte, que será para uso exclusivo dos moradores da Resex Verde para Sempre.
Coificação dos solos e cobertura vegetação de ocorrência na Resex Verde para Sempre”, da Dsc. Dra. Rosa Paes (ICMBio) e Dsc. Dr. Raimundo Cosme, coordenador do grupo de pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). As propostas têm como principal objetivo o fortalecimento do conselho e o reconhecimento da paisagem desta unidade de conservação (UC), sendo que a segunda proposta resultará na transferência de tecnologia para melhor uso do solo.

Durante a reunião, a Ambiente Consultoria apresentou o projeto de Assistência Técnica Extrativista – Chamada Pública proposto pelo Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), que visa a prestação de assistência técnica e extensão rural em UCs de uso sustentável, que já se encontra em campo, e cuja primeira visita para realização de diagnóstico ocorreu no setor baixo do rio Jaurucu – comunidades do Carmelino, Arirua, Jussará, Santa Clara, Fazendinha e São Francisco.

O coordenador regional, Carlos Pinheiro, informou sobre a doação da madeira retirada pelo empreendimento de construção da Hidroelétrica de Belo Monte, que será para uso exclusivo dos moradores da Resex Verde para Sempre.
Comunicação ICMBio
(61) 3341-9280

 

* Matéria publicada no site do ICMBio em 20/12/2013