Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Unidades de Conservação elaboram planos de manejo

Serra da Mocidade e Niquiá ficam em Roraima

© Todos os direitos reservados. Foto: Romério Bríglia

O Parque Nacional Serra da Mocidade e a Estação Ecológica de Niquiá promoveram oficina de capacitação para uso do banco de dados de SIG (Sistema de Informações Geográficas) e análise de UPN (Unidade de Paisagem Natural). A capacitação faz parte do processo de elaboração dos planos de manejo das duas Unidades de Conservação, que são administradas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) em Roraima. O evento aconteceu no Instituto de Geociências da Universidade Federal de Roraima (UFRR), na cidade de Boa Vista/RR, dias 24 e 25 de março.

Nesse sentido os técnicos puderam apresentar e avaliar, na oficina, os mapas temáticos, bem como realizar o nivelamento de informações sobre o mapeamento de Unidades de Paisagem Natural. Com isso a Coordenação de Elaboração e Revisão de Plano de Manejo do ICMBio pode trabalhar novas metodologias que visam integrar o processo de elaboração dos planos de manejo e otimizar os recursos.

As duas Unidades de Conservação estão no mesmo contexto ecológico e socioeconômico, o que fez com que as equipes otimizassem os esforços nesse levantamento de informações para elaboração dos planos de manejo. O empenho para a realização desse trabalho em conjunto teve, ainda, um contexto institucional favorável – a disponibilidade de recursos do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

A possibilidade de integração de informações acerca do Mosaico de Unidades de Conservação de Caracaraí, no sul de Roraima, é outro ponto positivo deste processo, pois permitirá o uso das informações por outras UCs da região.

Segundo a Chefe do Parque Nacional Serra da Mocidade, Inara Rocha, é uma satisfação ver o processo de elaboração dos planos de manejo chegando ao estágio atual, visto que agora os produtos estão começando a ganhar forma depois de anos de espera.

Na programação da oficina houve apresentação da base cartográfica, quando foram exibidos os mapas temáticos e também o mapeamento das Unidades de Paisagem Natural. O grupo participante fez, ainda, uma análise dos produtos, com a indicação de sugestões de correção ou modificação nos mapas, buscando um refinamento do produto final.

Capacitação para a atualização do banco de dados de SIG (Sistema de Informações Geográficas) e análise da UPN (Unidade de Paisagem Natural) foi promovida aos participantes, com o auxílio do software de Geoprocessamento DivaGis.

Participaram da Oficina, além dos servidores das duas UCs, os representantes da Coordenação de Elaboração e Revisão de Plano de Manejo do ICMBio, Luiz Felipe Pimenta de Moraes e Carolina Fritzen, o Consultor de SIG/UPN Gustavo Irgang, e também servidores de outras Unidades de Conservação Federais de Roraima, como Estação Ecológica de Maracá, Parque Nacional do Viruá, Floresta Nacional de Roraima e Floresta Nacional de Anauá, além Instituições parceiras convidados para o evento.

Comunicação ICMBio
(61) 2028-9290
* Publicado no site do ICMBio em 13/04/2015

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata consultoria para a elaboração do Plano de Manejo da UC RESEX Maracanã (PA)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional.
Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.

O Fundo Brasileiro para a biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

Em função de algumas alterações no escopo do serviço e com o intuito de atrair um maior número de participantes para o processo de seleção, o Funbio solicita que empresas/instituições interessadas manifestem-se até o dia 06 de fevereiro de 2015, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no Termo de Referência (TdR), apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito no TdR para a elaboração do Plano de Manejo da RESEX Maracanã/PA.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse_Consultoria PJ_ Plano de Manejo RESEX Maracanã e indicando o NOME da sua Instituição”.

Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.
O processo será conduzido de acordo com o Manual para Contratações e Aquisições do Funbio disponível no site www.funbio.org.br.
Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

A presente contratação deverá obedecer os procedimentos descritos nos arquivos abaixo:

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Publicado no site do Funbio em 23/01/2015

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Oficina elabora Plano de Manejo em Parque Nacional

Comunidade local participou ativamente da produção do documento.

Gustavo Frasão (gustavo.caldas@icmbio.gov.br)

Brasília (29/07/2014) — O Parque Nacional da Serra do Pardo (PA) realizou no mês de julho uma oficina de planejamento participativo para elaborar o plano de manejo local, ferramenta fundamental para melhorar a gestão da Unidade de Conservação (UC).

A comunidade do município de Altamira, onde fica a sede do Parque, contribuiu diretamente na elaboração do documento. A oficina foi realizada pela gestão da unidade em parceria com a Coordenação de Elaboração e Revisão do Plano de Manejo (Coman/ICMBio).

A expectativa é que o plano de manejo fique pronto até outubro de 2014. Antes disso, porém, estudos biológicos realizados pelos Centros de Pesquisa do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), em 2009, e pela WWF, em 2010, serão incluídos no documento. “A oficina foi um passo fundamental, pois a construção coletiva enriquece o debate e estimula a formação de parcerias para implementação das ações previstas”, explicou a gestora do Parque, Leidiane Brusnello.

Os trabalhos são financiados pelos programas Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa) e Cooperação Bilateral 2007-2013, formado pela Comissão Européia e Governo Brasileiro. Esta parceria prevê o financiamento do Projeto “Consolidação de Unidades de Conservação na Região da Terra do Meio”, também conhecido como “Projeto Terra do Meio”, área que fica no centro do Pará, entre Altamira e São Félix do Xingu, abrangendo toda a extensão do Parque.

Sobre o Parque Nacional da Serra do Pardo

O Parque Nacional da Serra do Pardo foi criado em 2005 para proteger a fauna e flora de ações predatórias. Atualmente, existem cerca de 900 espécies vivendo na Unidade de Conservação, que tem 450 mil hectares. Além de preservar os ecossistemas naturais, o ICMBio, responsável pela gestão da unidade, também promove pesquisas científicas e desenvolve atividades de educação e turismo ecológico. O parque faz parte do Plano de Ação do Governo Federal de controle e combate ao desmatamento na Amazônia legal.

*Matéria publicada no site do ICMBio.

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Aprovado o Plano de Manejo do Parque Nacional do Viruá

Foi aprovado e está disponível para uso o Plano de Manejo do Parque Nacional do Viruá (PNV).

O documento contém informações para auxiliar gestores e sociedade no melhor uso dos recursos e potencialidades do Parque e região.

 

O Plano de Manejo em arquivo único pode ser baixado através dos links:

 

www.dropbox.com/s/sm8yrxe3st6p2gs/PNV%20PM.pdf   40.80 M (baixa resolução)

A UCP parabeniza e agradece a todos pelo suporte na consolidação do PNV, que representa hoje a unidade de conservação com a maior diversidade de vertebrados do país, com a maior riqueza de peixes da Amazônia, selecionada em maio/2014 como Sítio Ramsar no Brasil.

*Matéria encaminhada por Beatriz Lisboa, do ICMBio no dia 23/07/2014.

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa

Arpa contrata empresa de Consultoria para elaboração de Plano de Manejo da RESEX Rio Cautário – RO

O Programa ARPA – Áreas Protegidas da Amazônia é uma parceria entre Governo Brasileiro e outros organismos internacionais e tem por objetivo expandir o sistema de áreas protegidas da Amazônia.

O FUNBIO – Fundo Brasileiro para a Biodiversidade atua desde 1995 em todo o território nacional, sendo a Instituição responsável pela gestão dos recursos financeiros do programa ARPA, adquirindo bens e contratando serviços como os prestados por sua empresa.

Desta forma, as empresas/instituições interessadas em participar do processo para esta contratação deverão encaminhar por e-mail, até o 11 de julho, uma manifestação de interesse demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços de elaboração de Plano de Manejo, apresentando portfólio da empresa e comprovação de capacidade técnica adquirida.

Clique aqui para acessar o Termo de Referência (TdR) referente a contratação.

As manifestações de interesse, devidamente embasadas, deverão ser encaminhadas identificadas como “Manifestação de Interesse para contratação de consultoria para elaboração de Plano de Manejo RESEX Rio Cautário – Nome da sua empresa”, aos cuidados de Lívia Berçot, para  livia.bercot@funbio.org.br

O Funbio entrará em contato, solicitando propostas, somente às empresas que apresentarem capacidade técnica básica e cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

Os recursos para pagamento dos serviços advém do contrato assinado entre o KfW e o Funbio.

Matéria publicada no site do Funbio em 01/07/2014

Notícias, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata consultoria para elaboração do Plano de Manejo da RESEX Federal de Cururupu (MA)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional. Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.

O Fundo Brasileiro para biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

Em virtude da revisão do escopo do serviço a ser contratado, convidamos as empresas/instituições interessadas a manifestarem-se novamente até o dia 17 de junho de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no Termo de Referência (TdR), apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito para a realização do Plano de Manejo da RESEX de Cururupu/MA.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse consultoria PJ_ Plano de Manejo RESEX de Cururupu”.

Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio, que se encontra no site do Funbiowww.funbio.org.br.

Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

Para esta manifestação é importante que sejam lidos os documentos abaixo:

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Matéria publicada no site do Funbio em 03/06/2014

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa

Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque – Tão Diverso Quanto Grande

Nas notícias de campo dessa semana, vamos falar de um gigante: o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque, o maior parque do Brasil e o maior do mundo em florestas tropicais, com uma área de quase quatro milhões de hectares.

Criado em 2002, no estado do Amapá, na divisa com a Guiana Francesa e o Suriname, essa unidade de conservação é fundamental para conservação de toda biodiversidade amazônica, e, em especial, para a vida dos muitos animais e plantas que ela abriga.

E dentre tantas notícias dessa importante UC, hoje vamos falar do papel dela para as espécies que vivem ali – e que não são poucas: mais de 2.300 plantas e animais vertebrados, como aponta a lista do Observatório de UCs, a qual lidera de longe.

Nas pesquisas realizadas em cinco expedições ao parque nacional entre 2004 e 2006 para elaboração do Plano de Manejo (link para o documento do e), foram registradas incríveis 1.578 espécies de plantas.

Entre os animais vertebrados, registrou-se 366 espécies de aves; 70 de anfíbios, sendo algumas novas descobertas – ou seja, nunca vistas ou estudadas antes; 86 répteis, incluindo três espécies de jacarés, três tartarugas e dois jabutis, além das serpentes e lagartos com pelo menos três espécies desconhecidas. Dentre as mais ameaçadas, às quais a UC oferece abrigo garantindo a sobrevivência e reprodução, estão o tatu-canastra, o cachorro-vinagre, a ariranha e a anta.

Espécie de sapo encontrada o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque (Crédito: Claudio Maretti).

Esses números e dados ficam ainda mais impressionantes se considerarmos que eles foram colhidos em apenas uma pequena amostra do parque, e que, levando em conta a extensão, a diversidade de ecossistemas e o grau de conservação da sua área, ainda há muito mais a ser encontrado e que está sendo protegido.

E é pensando nisso, que o Parque Nacional Montanhas do Tumucumaque é uma das UCs escolhidas pelo WWF-Brasil para o apoio a projetos de conservação socioambiental.  Entre as iniciativas apoiadas e desenvolvidas em parceria com a organização na UC está o projeto Biodiversidade nas Costas, que reúne professores da UNIFAP e educadores dos municípios do entorno do Parque.

* Publicado no Observatório de UCs da WWF Brasil em 25 de março de 2014

 

 

Notícias, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata Consultoria PJ para a elaboração do Plano de Manejo da RESEX Maracanã/PA

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional.Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.

O Fundo Brasileiro para a biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

Para participar do processo de seleção, as empresas/instituições interessadas deverão manifestar-se até o dia 19 de março de 2014, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no TdR abaixo, apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito no TdR para a elaboração do Plano de Manejo da RESEX Maracanã/PA.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse consultoria PJ_ Plano de Manejo RESEX Maracanã e indicando o NOME da Instituição”.

Somente serão selecionados para participação no processo as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio.

Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

A presente contratação deverá obedecer os procedimentos descritos nos arquivos abaixo:

– TDR
– Instrução Normativa 01, de 18/09/2007

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Matéria publicada no site do Funbio em 10/03/2014