Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Reserva Extrativista Maracanã (PA) instala placas de sinalização

A equipe da Reserva Extrativista (Resex) Maracanã, localizada no litoral do estado do Pará, na região denominada Salgado Paraense, iniciou em 12 de janeiro a instalação de placas sinalizatórias para identificar os limites da Resex. A sinalização tem sido instalada, em sua maioria, em manguezais, considerando que a Reserva abrange o ambiente marinho-costeiro, além do espelho d ́água.

Segundo Cláudia Marçal, analista ambiental da Unidade, a demarcação da Resex, por meio da sinalização, é de suma importância para sua gestão, pois serve para afirmar a presença do Estado, auxiliar na gestão da área no que se refere ao zoneamento e fiscalização e promover o ordenamento fundiário regional. A aquisição das placas contou com o apoio financeiro do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

* Publicado no ICMBio em Foco 328

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

UC RESEX Cazumbá-Iracema (AC) recebe missão de avaliação do Arpa

Por Daline Pereira

Nos dias 28 e 29 de janeiro, aconteceu na Unidade de Conservação (UC) Reserva Extrativista Cazumbá- Iracema (AC) a primeira missão de avaliação do Arpa em campo de 2015. Durante a visita, os participantes conheceram os desafios e as conquistas da atual gestão da UC em relação às metas do Programa.

Representantes do Ministério do Meio Ambiente, do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (Funbio), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) e do Banco Mundial, além do presidente do Comitê do Fundo de Transição do Arpa e do consultor de avaliação externa do Arpa, participaram da missão. Em diálogo com o grupo, Tiago Juruá, gestor da Reserva Extrativista, ressaltou que a Unidade é uma das 10 UCs consideradas altamente implementadas em recente relatório do TCU sobre UCs na Amazônia – dessas, cinco são apoiadas pelo Programa.

Participantes da missão de avaliação do Programa Arpa na RESEX Cazumbá-Iracema. Foto: Thiago Barros

Por outro lado, segundo Tiago Juruá o baixo número de gestores da UC dificulta a execução de determinadas ações. O grupo da missão conheceu de perto as dificuldades da comunidade para viver do extrativismo devido ao baixo valor da borracha no mercado. Não obstante, os moradores locais se mostraram altamente receptivos ao aprendizado de novas tecnologias que agreguem valor aos produtos.

Em diálogo com os moradores locais, os participantes da missão de avaliação do Programa Arpa tiveram a oportunidade conhecer seu alto grau de articulação e mobilização. A história de criação da Reserva Extrativista relacionada à luta dos moradores também foi tema do encontro.

Saiba mais
Missões de avaliação do Programa Arpa – Realizadas a partir de uma demanda dos doadores, as missões de avaliação do Arpa acontecem anualmente. Acesse aqui as atas das últimas missões e leia aqui a notícia sobre a missão de campo anterior.

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata consultoria para a elaboração do Plano de Manejo da UC RESEX Maracanã (PA)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional.
Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, que totalizarão 395 milhões de dólares.O Fundo Brasileiro para a biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.

Em função de algumas alterações no escopo do serviço e com o intuito de atrair um maior número de participantes para o processo de seleção, o Funbio solicita que empresas/instituições interessadas manifestem-se até o dia 06 de fevereiro de 2015, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no Termo de Referência (TdR), apresentando comprovação de capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil descrito no TdR para a elaboração do Plano de Manejo da RESEX Maracanã/PA.

Os documentos deverão ser enviados por e-mail para jose.mauro@funbio.org.br, identificados como “Manifestação de interesse_Consultoria PJ_ Plano de Manejo RESEX Maracanã e indicando o NOME da sua Instituição”.

Somente serão selecionados para participação no processo, as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.
O processo será conduzido de acordo com o Manual para Contratações e Aquisições do Funbio disponível no site www.funbio.org.br.
Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o KFW e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

A presente contratação deverá obedecer os procedimentos descritos nos arquivos abaixo:

O Funbio entrará em contato, solicitando as propostas, somente com as empresas cujas manifestações de interesse em realizar o serviço forem selecionadas.

* Publicado no site do Funbio em 23/01/2015

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa, Notícias sobre o Arpa

Arpa contrata consultoria para elaboração do plano de manejo da Resex Rio Preto Jacundá (RO)

O Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA), maior iniciativa de proteção de florestas tropicais do mundo, tem como objetivo a expansão e fortalecimento do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (SNUC) na Amazônia, a partir da proteção de 60 milhões de hectares na Amazônia – 12% da região, assegurando recursos financeiros para a gestão destas áreas e contribuindo para o desenvolvimento sustentável regional. Criado em 2002, é coordenado pelo Ministério do Meio Ambiente (MMA) e financiado com recursos do Global Environment Facility (GEF)/Banco Mundial, do governo da Alemanha/KfW, do Fundo Amazônia/ BNDES, WWF-Brasil e setor empresarial (Natura e O Boticário), além de contrapartida do Governo Federal e governos estaduais, totalizando 395 milhões de dólares.O Fundo Brasileiro para Biodiversidade (FUNBIO) é a instituição responsável pelo gerenciamento dos recursos financeiros, pelas atividades de aquisições e contratações para as unidades de conservação (UCs) e pela gestão de ativos do Fundo de Áreas Protegidas (FAP), um fundo fiduciário que irá garantir a continuidade das ações em longo prazo.Convidamos as empresas / instituições interessadas neste processo seletivo a manifestarem-se até o dia 31 de janeiro de 2015, demonstrando que são qualificadas para desempenhar os serviços descritos no TdR (Termo de Referência) abaixo.Clique aqui para ler o TdR

Os documentos, comprovando a capacidade técnica adquirida a partir da realização de trabalhos que se enquadrem no perfil estabelecido no TdR, deverão ser enviados por e-mail para juliana.penna@funbio.org.br, identificado como “Manifestação de interesse consultoria PJ – plano de manejo Resex Rio Preto Jacundá”.

Somente serão selecionados para participação no processo as empresas e instituições que cumprirem com os requisitos solicitados.

O processo será conduzido em acordo ao Manual para Contratações e Aquisições do Funbio, que se encontra neste site.
Os recursos para pagamento dos serviços advêm do contrato assinado entre o BNDES e o Funbio para a implementação do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (ARPA) fase II.

* Originalmente publicado no site do Funbio em 15/01/2015

 

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação, Notícias dos Parceiros do Arpa

ICMBio lança revista e site sobre a gestão de áreas protegidas

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) lançou, nessa quinta-feira (11), a revista e o site “Práticas inovadoras na Gestão de Áreas Protegidas”.

A publicação e o site reúnem 27 experiências bem sucedidas na gestão de Unidades de Conservação (UC) desenvolvidas pelos servidores do ICMBio, em busca de soluções para problemas do dia a dia das UCs.

As práticas apresentadas foram selecionadas por dois critérios: solucionar problemas que afetavam as unidades e o potencial de replicabilidade. “A intenção é que os gestores das unidades possam aprender com a experiência dos outros”, explica o diretor de Ações Socioambientais (Disat/ICMBio), João Arnaldo Novaes.

O projeto “Práticas Inovadoras na Gestão de Áreas Protegidas” busca qualificar a gestão e atender às demandas por conhecimento e intercâmbio de experiências nos diversos temas que permeiam a gestão das 320 unidades de conservação administradas pelo ICMBio, em todo o país.

“Nestas experiências, as comunidades abraçaram as UCs. Isso aconteceu porque as unidades souberam se abrir e reconhecer que sem essa participação nós não teremos chance”, destaca o presidente do ICMBio, Roberto Vizentin.

O Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ) participou do grupo de trabalho formado ‡por ‡pesq‚uisadores e es‡pecialistas em €gestão de áreas ‡proteg€idas p‡ara analisar as iniciativas. “A gente precisa enaltecer essas pessoas que têm a coragem de quebrar a inércia e ir atrás. Eu fico fascinada com isso”, elogia a presidente do IPÊ, Suzana Pádua.

“O apoio social é o limiar entre a crise e o sucesso. A relação com a sociedade é que dá a diretriz e faz a diferença”, orienta Novaes. “Mostramos para a sociedade e para os gestores como é possível, com criatividade e com um pouco de apoio, fazer coisas extraordinárias e avançar na implementação das unidades”, conclui.

Reserva Extrativista Soure (PA)

Com a implementação do Programa de Voluntariado (em 2013), a UC desenvolveu o projeto “Praias de Soure: nosso paraíso marajoara” com a sociedade civil. Voltado para o ordenamento do uso público, desenvolvimento de atividades culturais e de educação ambiental nas praias, motivou o surgimento de outros projetos, entre eles, o “Mãos ao Lixo” que tratou do problema do lixo com as associações das comunidades e bairros de beneficiários da UC.

Os resultados positivos trouxeram outras pessoas para o programa. No inicio de 2014, a unidade abriu um novo período de inscrição de voluntariado e recebeu 92 inscrições.

Reserva Extrativista do Médio Purus (AM)

As Reserva Extrativistas devem promover o uso sustentável dos recursos naturais e implementar estratégias de conservação que envolvam as comunidades locais.

O pirarucu é uma das maiores espécies de peixes de água doce do mundo, pode atingir até 3 metros de comprimento e pesar 250 quilos. A espécie tem ocorrência registrada em toda a bacia amazônica e costuma ser encontrada em lagos. A captura dos peixes de forma desordenada tem levado a uma diminuição dos indivíduos da espécie.

Foram construídos acordos com as comunidades locais para determinar os tipos de uso que seriam permitidos em cada um desses lagos. Os destinados à conservação estrita foram mantidos em constante vigilância e os lagos de pesca para consumo tiveram o seu uso permitido, de acordo com as regras acordadas.

Com essa prática, houve aumento do número de peixes e as comunidades pescaram cerca de 12 toneladas de pirarucu, sendo um total de 134 peixes provenientes de dois lagos da Reserva.

Sobre o projeto Práticas Inovadoras na Gestão de Áreas Protegidas

É uma iniciativa do ICMBio, em parceria com o Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ), a Agência Alemã de Cooperação Internacional (GIZ) e a Fundação Gordon and Betty Moore, para valorizar e estimular o diálogo a partir da divulgação de práticas de gestão que colaboram de forma articulada e coordenada para a implementação das Unidades de Conservação e, consequentemente, para a consolidação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC).

Fonte:

Instituto Chico Mendes

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Base do CNPT no Acre fecha ano com balanço positivo

Nos dias 12 e 13 de novembro, no município de Jordão, a Base Avançada do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT) em Rio Branco (Acre) participou da reunião do Conselho Deliberativo da Reserva Extrativista (Resex) do Alto Tarauacá. Na oportunidade, foram apresentados os resultados das pesquisas desenvolvidas na Unidade de Conservação (UC) ao longo dos últimos três anos.

A equipe do CNPT também participou de reunião do Conselho da Resex do Cazumbá-Iracema, com o mesmo objetivo. Com isso, a Base Avançada do Centro fecha o quarto ano de existência com balanço positivo de suas atividades e conquistas. Criado com o objetivo de realizar pesquisa científica em manejo e conservação de ambientes e territórios utilizados por povos e comunidades tradicionais em apoio às Unidades de Conservação federais, uma série de pesquisas vem sendo realizadas sobre as temáticas “Caça de Subsistência”; “Etnoconhecimento Zooterápico” e “Manejo Participativo de Tracajá”. O entorno da Resex Chico Mendes e as Florestas Nacionais do Macauã e do São Francisco também já foram objeto de estudo.

“Há muito que se comemorar, foram anos de muito trabalho, desafios e conquistas até conseguir estruturar esta Unidade descentralizada do Instituto Chico Mendes na capital do Acre. Temos um quadro reduzido de servidores, mas que sempre perseguiu a missão de produzir conhecimentos relacionados a sociobiodiversidade em apoio à gestão dessas Unidades”, afirmou a responsável pela base, Rosenil de Oliveira.

Foram sete projetos aprovados em editais de pesquisas, sendo seis executados na íntegra; participação em oito eventos científicos nacionais e cinco estaduais, com produção de sete resumos científicos; duas orientações de pós-graduação; três participações em banca de conclusão de curso; mais de 15 palestras proferidas; além de outras contribuições ao Instituto em diversas temáticas.

 

* Publicado no ICMBio em Foco 324
Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Resex do Cazumbá-Iracema (AC) realiza Projeto Cidadão

O Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) realizou, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, mais uma edição do Projeto Cidadão na Reserva Extrativista (Resex) do Cazumbá-Iracema. O evento ocorreu de 21 a 23 de novembro, em Sena Madureira (AC).

Durante o evento, moradores da Unidade de Conservação (UC) emitiram documentos como CPF e carteira de identidade e de trabalho. Eles também assistiram a palestras sobre programas do governo federal e direitos, como Bolsa Família, salário-maternidade, auxílio-doença e aposentadoria.

A ação foi coordenada por Aldeci Maia, o Nenzinho, liderança comunitária que trabalha na equipe gestora da Reserva. Segundo ele, “o desafi o é grandioso, mas esse trabalho é fundamental para garantir às famílias da UC o acesso à informação e à documentação básica necessária para exercer sua cidadania, seus direitos de cidadão”, destacou Maia.

Muitas famílias são de comunidades distantes e participaram do evento para garantir a obtenção ou renovação de documentos básicos como RG e CPF, principalmente de filhos que até então só possuíam a certidão de nascimento. Em três dias, foram emitidos mais de cem documentos.

* Publicado no Informativo ICMBio em Foco 323
Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Resex do Alto Tarauacá (AC) comemora aniversário com conselheiros

A Reserva Extrativista (Resex) do Alto Tarauacá (AC) reuniu seu Conselho Deliberativo nos dias 12 e 13 de novembro para mais uma reunião ordinária. Na ocasião, foi discutido o papel do conselheiro e elaborado o Plano de Trabalho para o próximo ano. “Esta foi uma ocasião muito especial, pois pela primeira vez ocorreu a renovação do mandato dos conselheiros após a criação do Conselho, em dezembro 2010”, afirmou Camilla Helena da Silva, chefe da Resex.
Também houve apresentação da nova diretoria da Associação dos Serigueiros Agricultores Ribeirinhos do Alto Tarauacá (Asareat), discussão do Perfil do Beneficiário da Resex e apresentação dos resultados das pesquisas com quelônios e caça realizadas pelo Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da Sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT) na Unidade. Ao final da reunião, foi comemorado com bolo e muita festa o aniversário de 14 anos da Reserva Extrativista, completados em 8 de novembro, e o início do mandato dos novos conselheiros.

Participaram da atividade Francisco José Figueiredo de Souza, da Resex do Alto Juruá; Rosenil Dias de Oliveira, da Base Avançada do CNPT em Rio Branco, além de Raimundo Maciel D ́avila e Camilla Helena da Silva, gestores da Resex do Alto Tarauacá. A atividade contou com o apoio do Programa Áreas Protegidas da Amazônia (Arpa).

 

* Matéria publicada no ICMBio em Foco 322
Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

No coração da Amazônia, Reserva Extrativista comemora 10 anos de criação

O extrativista Herculano Filho foi repórter por um dia para contar uma história de festa na Resex Riozinho do Anfrísio. Confira ainda reportagens históricas sobre a área e a Terra do Meio, no sul do Pará

Versão para impressão

Herculano Filho nasceu em uma comunidade onde 99% das famílias eram analfabetas. Saúde e educação eram luxos de uma terra distante. Na infância, viu seu pai ser ameaçado por pistoleiros que queriam expulsar sua família do pedaço de floresta onde nasceu. Ele aprendeu o que era um grileiro antes de aprender o que era um professor. Herculano Filho é o repórter do vídeo que aparece logo abaixo. Nos dias 8 e 9/11, ele foi repórter por um dia para contar uma história de festa. Cerca de 300 pessoas reuniram-se na Reserva Extrativista Riozinho do Anfrísio, no sul do Pará, para comemorar os 10 anos da criação da área. Teve roda de conversa, torneio de futebol, dança e um bolo de tamanho proporcional a alegria do povo da Terra do Meio. A reserva é uma das mais emblemáticas Unidades de Conservação da Amazônia, localizada no meio de uma de suas frentes de expansão do desmatamento mais predatórias e, ao mesmo tempo, região de grande importância para a conservação da biodiversidade. Graças à luta de Herculano pai, Herculano Filho poderá criar sua filha em um lugar reconhecido pelo Estado Brasileiro, com posto de saúde, escola e possibilidade de ver crescer uma nova geração que nasce cheia de desafios, mas com a possibilidade real de viver da floresta em pé.

Luiz Augusto Conrado Amaro (Machinha), Herculano Porto e o filho, Edileno (presidente da Amora – Assoc. de Moradores da Resex Riozinho do Anfrísio) apagam a vela em comemoração aos 10 anos de criação da Resex

Confira toda a galeria de fotos da comemoração dos 10 anos da Resex Riozinho do Anfrísio no final da reportagem. Os registros são do fotógrafo Lilo Clareto

Eliane Brum fala sobre a Resex Riozinho do Anfrísio


“Ninguém ganha uma luta sozinho. As lutas são uma soma de muitas resistências e naquele momento cada um fazia a sua parte. Nesse grande movimento o meu era um pequeno papel, o de ser ponte, o de transformar em palavra escrita a história que vocês me contavam pela palavra oral. Historicamente, a palavra escrita foi um instrumento de dominação entre os mais pobres pelas elites. Quantas vezes documentos falsos de grileiros valiam mais do que a palavra verdadeira de vocês e eu queria que a minha escrita fosse não mais um instrumento de violência, mas uma ponte para levar a palavra de vocês, transpondo o fosso entre os Brasis”.

A jornalista e escritora Eliane Brum escreve sobre a Terra do Meio há 10 anos. Ela participou da Roda de Conversa sobre os desafios para os próximos 10 anos da Resex Riozinho do Anfrísio. Ouça a fala da jornalista na íntegra

Veja as reportagens de Eliane Brum sobre a Terra do Meio

Especial: O Povo do Meio (Revista Época)
O Povo do Meio
O País dos Raimundos
A travessia de Herculano
A disputa das almas
Ameaçados de extinção
Onde fica a Terra do Meio

A Amazônia, segundo um morto e um fugitivo

À margem do pai

Outras histórias da Terra do Meio

Especial do Bom Dia Brasil (TV Globo)

Os repórteres Marcelo Canellas e Luiz Quilião apresentaram ao Brasil a Terra do Meio em dezembro de 2007, com a premiadíssima série Terra do Meio, Brasil Invisível. As cinco reportagens traçaram um retrato de uma região do Brasil que era praticamente desconhecida no Pará.

Confira as reportagens:

Os Beiradeiros
Os grileiros
Os exilados
As estradas
Marcados para morrer

Série Florestabilidade (Canal Futura)

A série Florestabilidade: Educação para o Manejo Florestal é um programa educativo, apresentado por Sérgio Marone, que tem como objetivo divulgar e estimular ações sustentáveis em áreas florestais. O programa mostra experiências bem-sucedidas no manejo de recursos das florestas pela população ribeirinha, em comunidades extrativistas, indígenas e por empresas, principalmente nos estados do Acre, Amazonas e Pará. Em 15 episódios, a série trata de assuntos como a extração de madeira, copaíba, açaí, castanha e látex. São colocados em pauta o desenvolvimento social e econômico das famílias e a inclusão de práticas ambientalmente responsáveis no dia a dia das pessoas que vivem no norte do país. A Reserva Extrativista Riozinho do Anfrísio faz parte da série.

Confira as reportagens:

Manejo Florestal de Uso Múltiplo
Manejo de Produtos Florestais Não Madeireiros: Copaíba
Manejo de Produtos Não Florestais: Babaçu

Saiba mais sobre a Terra do Meio – Localizada no centro-sul do Pará, a Terra do Meio é uma das regiões mais importantes para conservação da sociobiodiversidade da Amazônia, mas também o palco de um dos maiores conflitos fundiários do Brasil. Seu destino pode servir para avaliar a real capacidade do Poder Públido para desenvolver e proteger a floresta amazônica. Em 2006, o ISA publicou um conjunto de reportagens especiais e artigos para apontar alguns dos principais problemas socioambientais da região.Veja aqui o Especial.* Publicado no site do ISA em 20/11/2014

 

Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Gestores do ICMBio participam de capacitação no Acre

Representantes da Base Avançada do Centro Nacional de Pesquisa e Conservação da sociobiodiversidade Associada a Povos e Comunidades Tradicionais (CNPT) em Rio Branco (AC) e das Reservas Extrativistas Chico Mendes, do Alto Juruá, do Alto Tarauacá e do Cazumbá-Iracema participaram de 27 a 31 de outubro de um treinamento para aprimorar a gestão participativa nas Unidades de Conservação (UCs) localizadas no estado do Acre. Na oportunidade, foi apresentado aos participantes o sistema de Indicadores socioambientais para Unidades deConservação (sisuc).

A ferramenta avalia 27 indicadores e visa auxiliar a gestão de UCs com foco socioambiental voltado aos Conselhos Gestores em todo o Brasil. O sisuc é público e livre para utilização por organizações dos diferentes setores da sociedade, com os objetivos de apoiar o trabalho deconselhos gestores, fortalecer a gestão participativa e ampliar o controle social nas Unidades de Conservação da Amazônia brasileira. Os indicadores socioambientais nele estabelecidos remetem à coleta sistemática de dados, que têm como desdobramento um plano estratégico de ações que passam a ser monitoradas pelo próprio conselho gestor de cada UC.
Para Tiago Juruá, chefe da Reserva Extrativista (Resex) do Cazumbá-Iracema, a capacitação possibilitou aos gestores conhecer uma importante ferramenta de gestão e avaliação da UC. “O sisuc possibilita uma avaliação da UC baseada nas impressões de seus conselheiros. Com isso, busca envolvê-los também na gestão por meio do Plano de Ação que é construído em conjunto e avaliado a cada reunião do Conselho. Isso é importante pois aproxima o conselheiro da gestão e possibilita dividir melhoras responsabilidades de gestão entre a equipe gestora e oConselho Gestor”, concluiu.
Para Rosenil Dias, analista ambiental do CNPT, esse sistema de indicadores vai ajudar muito os gestores. “Vai ser possível melhorar a qualidade da gestão, visualizando de maneira mais eficiente como está o trabalho da Unidade, além da troca de experiências entre as instituições”, concluiu. Também participaram da capacitação Camilla Helena da silva, da Resex do Alto Tarauacá; José Figueiredo, da Resex do Alto Juruá e Melina de Andrade, da Resex Chico Mendes.
O evento foi ministrado por consultores do Grupo Natureza sociedade e Conservação e promovido pela secretaria de Meio Ambiente do Estado (sema), com apoio da Agência de Cooperação Alemã (GIZ). Informações sobre o sisuc em http://blogdosisuc.socioambiental.org/.
* Publicado no Informativo do ICMBio nº 319