Notícias, Notícias das Unidades de Conservação

Unidades de conservação em Roraima realizam expedição científica

O Parque Nacional Serra da Mocidade e a Estação Ecológica de Niquiá realizaram em dezembro de 2013 uma expedição de Pesquisa Científica denominada Terra incógnita, nome escolhido em alusão à Hamilton Rice, explorador americano que assim chamou a região oeste de Roraima em seu livro exploração à Guiana Brasileira.  A Expedição reuniu pesquisadores de diversas áreas do conhecimento para levantar informações sobre uma região que, mesmo 90 anos depois, continua pouco conhecida pela ciência.

Composta por pesquisadores de várias instituições (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, Universidade Federal de Roraima, Instituto de Amparo à Ciência e Tecnologia do Estado de Roraima, Universidade Federal do Amazonas, Secretaria do Patrimônio da União, Centro de Estudos da Biodiversidade Amazônica, Instituto federal de Roraima) e financiada com recursos do Programa ARPA (Áreas Protegidas da Amazônia) a expedição teve por objetivo subsidiar as equipes gestoras das UC com informações que contribuam com a elaboração e a implementação de seus Planos de Manejo, documento primordial que define as diretrizes para a gestão de uma área protegida.

Reconhecidas como áreas prioritárias para a conservação, utilização sustentável e repartição de benefícios da biodiversidade Brasileira (portaria nº 126 de 27/05/2004 do MMA) o Parque Nacional Serra da Mocidade e a Estação Ecológica Niquiá estão localizadas na porção centro-sul do Estado de Roraima, região do Baixo Rio Branco. São geridas pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), autarquia federal ligada ao Ministério do Meio Ambiente (MMA) que tem a missão de administrar e conservar essas áreas. Somadas, as duas unidades chegam a mais de 600 mil hectares e protegem uma região que se caracteriza pela ocorrência de campinas e campinaranas, além de várias tipologias florestais, com destaque para uma formação montanhosa que chega a mais de1.900 metrosde altitude, a Serra da Mocidade.

Foram identificadas mais de 300 espécies de plantas, com 32 novos registros para a flora de Roraima e 2 novos registros para o Brasil (Monotrema bracteatum subsp. major e Ruizterania rígida), além disso, foram também identificados 23 espécies de anfíbios, 14 de lagartos, 5 serpentes, 18 de mamíferos, 124 espécies de aves, com o registro importante da ocorrência de uma ave considerada rara, o galo-da serra (Rupicola rupicola), que só ocorre em regiões montanhosas do norte da Amazônia, e ainda 131 espécies de peixes. Um estudo inicial sobre a pedologia do local foi iniciado, e indicou uma alta variedade de solos, mas ainda serão feitas as análises necessárias para caracterizá-los melhor.

Realizamos também um sobrevoo na região para captação de imagens em alta resolução para compor o acervo do parque e que foram utilizadas em um documentário sobre a expedição (https://www.youtube.com/watch?v=M7o1avCPSjs) que pretende apresentar esse belo e diverso cenário Amazônico à ciência e ao Brasil.

O que: Expedição Científica Terra incognita

Quem: Instituto Chico Mendes, parceiros (UFRR, IACTI, UFAM, IFRR, CENBAM e SPU) com recursos do programa ARPA (Áreas Protegidas na Amazônia)

Onde: No Parque Nacional Serra da Mocidade e na Estação Ecológica de Niquiá, Unidades de Conservação federais localizadas no Baixo Rio Branco- Roraima.

Quando: De 04 a 18 de dezembro de 2013.

Informações: ICMBio (95) 3623 3250/3532 1067.

E-mail: parna.mocidade@icmbio.gov.br

*Texto foi escrito  por Romério Briglia Ferreira (sylvio.ferreira@icmbio.gov.br), analista ambiental do Parque Nacional Serra das Mocidade.